Portugal emite hoje até 1.500 milhões em dívida a seis e a 12 meses

Portugal vai hoje ao mercado para colocar entre 1.250 e 1.500 milhões de euros em Bilhetes do Tesouro (BT) a seis e a 12 meses.

Mário Cruz / Lusa

As maturidades dos BT que serão hoje leiloados são em 17 de janeiro de 2020 (seis meses) e em 17 de julho de 2020, informou a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP).

Em 15 de maio, Portugal colocou 1.500 milhões de euros, montante máximo anunciado, em BT a seis e a 12 meses, a juros negativos e a caírem nos dois prazos.

A 12 meses foram colocados 1.000 milhões de euros em BT à taxa de juro média de -0,370%, de novo negativa e inferior à registada em 20 de março, quando foram colocados 1.100 milhões de euros à taxa de juro média de -0,366%.

A seis meses foram colocados 500 milhões de euros em BT à taxa média de -0,396%, mais negativa do que a verificada em 20 de março, quando foram colocados 400 milhões de euros a -0,393%.

A procura atingiu 2.285 milhões de euros para os BT a 12 meses, 2,29 vezes superior ao montante colocado, e 1.311 milhões de euros para os BT a seis meses, 2,62 vezes o montante colocado.

Em 17 de janeiro de 2018, as taxas de juro médias dos BT a seis e a 12 meses caíram até aos mínimos de sempre de -0,425% e -0,398%, respetivamente.

Ler mais
Recomendadas

Leite achocolatado, bolachas e cereais para crianças deixam de ter publicidade

A lei da publicidade vai apertar a partir do próximo mês de Outubro. As multas para os que infringirem a lei da publicidade ronda os 1.750 euros e 45 mil euros. Outros produtos que deixarão de ser publicitados a este público são também 90% dos cereais de pequeno almoço e 72% dos iogurtes que estão no mercado.

Portugal aceita renegociação de dívida cubana com mais de 30 anos

Dívida cubana em atraso resultou de operações de crédito garantidas por Portugal através da companhia de seguros de crédito COSEC e remonta aos anos 80. Estado cubano compromete-se a pagar até 2029 prestações anuais crescentes.

Apetite dos investidores pela dívida portuguesa não deverá tirar férias

Esta quarta-feira, o IGCP realiza um leilão duplo de Bilhetes do Tesouro, num mês em que “há menos” liquidez nos mercados. Segundo o diretor de gestão de ativos do Banco Carregosa, Filipe Silva, “apesar de estarmos em agosto” não irá ter qualquer efeito na ida de Portugal aos mercados.
Comentários