Portugal manteve o terceiro maior rácio da dívida pública no segundo trimestre (com áudio)

Peso da dívida pública diminuiu na zona euro para 98,3% no final do segundo trimestre face ao trimestre anterior, mas aumentou em comparação com igual período do ano passado. Portugal é o terceiro país da zona euro com o maior rácio de dívida pública face ao PIB, ao atingir 135,4%.

O rácio da dívida pública face ao Produto Interno Bruto (PIB) na zona euro caiu para 98,3% no final do segundo trimestre, em relação aos 100% do primeiro trimestre, refletindo sobretudo a recuperação do PIB, já que a dívida em termos nominais continuou a aumentar. De acordo com os dados do Eurostat, divulgados esta sexta-feira, Portugal manteve-se como o terceiro país da zona euro com o maior peso da dívida pública.

Na média dos países da União Europeia o rácio da dívida pública também diminuiu de 92,4% para 90,9%.

“Tanto para a zona euro como para a União Europeia, a redução do rácio da dívida pública face ao PIB no final do segundo trimestre deveu-se à recuperação do PIB, enquanto a dívida pública continuou a aumentar devido às necessidades de financiamento das medidas de política adotadas para mitigar a conjuntura económica e o impacto social da pandemia”, explica o organismo de estatística europeu.

Em comparação com o segundo trimestre do ano passado, o peso da dívida pública aumentou tanto na zona euro (de 94,4% do PIB para 98,3%) como na União Europeia (de 87,2% do PIB para 90,9%).

Portugal é o terceiro país da zona euro com o maior rácio de dívida pública face ao PIB no segundo trimestre, ao atingir 135,4%, apenas superado pela Grécia (207,2%) e por Itália (156,3%). A Estónia (19,6%), Bulgária (24,7%) e Luxemburgo (26,2%) são os países com menor peso da dívida.

Ainda assim, em comparação com o primeiro trimestre deste ano, Portugal foi o quarto país que registou uma maior diminuição do peso da dívida (-3,7 pontos percentuais), com as maiores reduções a ocorrer no Chipre (-9,4 p.p.), Eslovénia (-5 p.p.) e Croácia (-4 p.p.). Já comparado com o segundo trimestre do ano passado, 24 países da União Europeia registaram um aumento do rácio dívida pública/PIB, contra uma diminuição em apenas três Estados-membros. Os maiores acréscimos foram registados na Grécia (+15,9 p.p.), Espanha (+12,5 p.p.), Malta (+10,8 p.p.) e Portugal (+9,1 p.p.), enquanto se observaram diminuições na Irlanda (-3,1 p.p.), Dinamarca (-1,5 p.p.) e Holanda (-0,8 p.p.).

Recomendadas

Mercado automóvel sobe 3,3% até novembro, mas cai face a 2019

“Nos 11 meses de 2021, foram colocados em circulação 163.944 novos veículos, o que representou uma diminuição de 33,1% relativamente a 2019, apesar da comparação com 2020 mostrar um aumento de 3,3%”, indicou, em comunicado, a ACAP.

Covid-19: ANA diz que recuperação do tráfego está nos 50%, mas nova variante pode obrigar a rever previsões

A gestora aeroportuária diz que foi conservadora nas previsões que fez e que, por isso, está a ser surpreendida “pela positiva”, mas admite que a nova variante do SARS-CoV-2 poderá forçá-la a alterar projeções, devidos a possíveis cancelamentos.

UE só exportou metade do valor de produtos de energia verde importados em 2020

O valor das importações de painéis solares e biodiesel foi muito superior ao valor correspondente das exportações dos 27 Estados-membros destes bens para países fora da UE.
Comentários