Portugal paga taxas mais negativas para emitir 1.750 milhões de dívida a curto prazo

No primeiro leilão de Bilhetes do Tesouro do ano, Portugal emitiu o montante máximo pretendido ao colocar 1.250 milhões de euros a um ano e 500 milhões a seis meses. Em ambos casos, a taxa caiu face a um leilão em setembro

Portugal pagou esta quarta-feira taxas mais negativas do que no último leilão para emitir Bilhetes do Tesouro (BT) a seis e 12 meses. Num leilão duplo, o IGCP- Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública emitiu 1.750 milhões de euros, o montante máximo pretendido.

O Tesouro colocou 1.250 milhões de euros em dívida a 12 meses, tendo pago uma taxa média ponderada de -0,482%, que compara com os -0,44%, registados no último leilão, que teve lugar em setembro.

Nas BT a seis meses, o IGCP emitiu 500 milhões de euros, com uma yield de -0,487%, face aos -0,463%, registados no leilão de setembro.

A procura superou oferta em 1,78 vezes na maturidade mais longa, face a 2 vezes em setembro, enquanto no prazo mais curto o bid-to-cover ratio foi de 2,24 vezes, o que compara com os 4,70 no leilão anterior.

Segundo o programa de financiamento para 2020, o IGCP espera angariar 1,3 mil milhões de euros através da emissão de BT. No primeiro trimestre, prevê angariar até 4.500 milhões de euros na emissão de dívida a curto prazo, tendo um outro leilão duplo previsto para 19 de fevereiro e outro para 18 de março.

Na semana passada, o Tesouro realizou uma venda sindicada na pagou 0,45% para emitir quatro mil milhões de euros Obrigações do Tesouro a dez anos, com maturidade em 2030. A procura foi seis vezes superior à oferta e ascendeu aos 23 mil milhões de euros.

[Atualizada às 12h14]

Ler mais

Relacionadas

Portugal paga 0,45% para emitir quatro mil milhões de euros em OT e “continua a beneficiar da economia”, diz especialista

“Esta emissão servirá de referência para Portugal para o prazo de dez anos”, revelou Filipe Silva, analista do Banco Carregosa.

IGCP vai emitir 16,7 mil milhões em dívida a longo prazo em 2020

Programa de financiamento para este ano prevê que Portugal angarie 1,3 mil milhões de euros na emissão de dívida a curto prazo. Primeiro leilão de Bilhetes do Tesouro tem lugar quarta-feira, dia 15 de janeiro, com um montante indicativo entre 1.500 e 1.750 milhões de euros.
Recomendadas

Acionistas da Prisa aprovam venda da TVI à Cofina

Os acionistas da empresa dona da TVI deram luz verde à venda estação de televisão e outros ativos à companhia que detém o Correio da Manhã e a CMTV, entre outros.

IGCP emite 949 milhões de euros em operação de troca para alongar prazos da dívida até 2029

Na primeira operação de troca de dívida deste ano, a instituição presidida por Cristina Casalinho adiou em oito anos o reembolso de Obrigações do Tesouro que venciam em 2021.

Novo Banco pede falência de empresa de Moniz da Maia por dívida de 375 milhões de euros

No pedido de insolvência da empresa, o banco invoca dívidas no total de 16,5 milhões de euros respetivos a um crédito concedido diretamente à empresa de Bernardo Moniz da Maia em 2009 e 358,3 milhões de euros relativos a um contrato de financiamento celebrados entre o BES e a Sogema Investments Limited, segundo o JN.
Comentários