Portugal pode receber até 35 pessoas resgatadas do navio Ocean Viking

Bruxelas já tinha agradecido a disponibilidade dos Estados-membros que aceitaram acolher estes migrantes.

Portugal está disponível para acolher até 35 pessoas das 356 resgatadas pelo navio humanitário «Ocean Viking», anunciou esta quinta-feira à tarde o Ministério da Administração Interna e o Ministério dos Negócios Estrangeiros.

O barco humanitário, das organizações Médicos Sem Fronteiras e SOS Mediterrâneo, resgatou centenas de migrantes à costa da Líbia e está há 10 dias à espera da autorização para atracar num porto europeu seguro. Depois de o país e de outros quatro Estados-membros (França, Alemanha, Luxemburgo e Roménia) terem aceitado receber algumas destas pessoas a Comissão Europeia fez um agradecimento público.

Os gabinetes de Eduardo Cabrita e de Augusto Santos Silva destacam o “gesto de solidariedade humanitária e de desejo comum de fornecer soluções europeias para a questão da migração e das tragédias humanas que se verificam no Mediterrâneo”, em comunicado sobre o navio que está no canal da Sicília, entre Malta e Lampedusa.

Como exemplos de outros resgates nos quais o país participou, os dois ministérios apontam o Open Arms, o Lifeline, o Aquarius I, o Diciotti, o Aquarius II, o Sea Watch III ou o Alan Kurdi. “Não obstante esta disponibilidade solidária sempre manifestada, o Governo português continua a defender uma solução europeia integrada, estável e permanente para responder ao desafio migratório”, pode ler-se na mesma nota.

Recomendadas

Catarina Martins sinaliza que “só não há um OE se o Governo não quiser”

A líder bloquista exemplificou algumas das áreas nas quais quer ver avanços no documento de OE, como o SNS ou as “longas carreiras contributivas”, esclarecendo ainda que “não se prende por questões formais”, pretendendo apenas “redações exatas das leis”.
Nuno Melo e Francisco

Nuno Melo abre e Rodrigues dos Santos encerra escola de quadros da Juventude Popular

Atual líder centrista e o eurodeputado que pretende ser o próximo presidente do partido não se irão cruzar no hotel de Portimão onde decorre uma ação de formação que conta com convidados como o social-democrata Miguel Pinto Luz e o socialista Álvaro Beleza, presidente da SEDES.

PCP: “Não tem havido grande evolução” nas negociações com o Governo sobre o OE2022

Segundo Jerónimo de Sousa, o partido transmitiu a Marcelo Rebelo de Sousa a importância de o orçamento do próximo ano ter incluídas medidas essenciais, nomeadamente de valorização dos salários, das reformas e das pensões, reforço da rede de creches e dos serviços públicos.
Comentários