Portugal sobe para segundo lugar entre os Estados que receberam mais fundos

Portugal subiu para o segundo lugar entre os Estados-membros, com maiores envelopes financeiros, com os montantes mais elevados de pagamentos intermédios de Bruxelas, com 16.140 milhões de euros recebidos até junho, no âmbito do programa Portugal 2020.

Portugal subiu para o segundo lugar entre os Estados-membros, com maiores envelopes financeiros, com os montantes mais elevados de pagamentos intermédios de Bruxelas, com 16.140 milhões de euros recebidos até junho, no âmbito do programa Portugal 2020.

Portugal subiu para o segundo lugar entre os Estados-membros, com maiores envelopes financeiros, com os montantes mais elevados de pagamentos intermédios de Bruxelas, com 16.140 milhões de euros recebidos até junho, no âmbito do programa Portugal 2020.

“Até ao final de junho de 2021, foram transferidos 16.140 milhões de euros para Portugal, a título de pagamentos intermédios efetuados pela Comissão Europeia (CE), como resultado da execução das operações financiadas pelos fundos europeus afetos ao Portugal 2020”, lê-se no boletim dos fundos da União Europeia, com informação reportada até ao final de junho.

No total, a CE já transferiu mais de metade do que está programado no Portugal 2020 (61,7%).

Portugal apresenta agora a segunda maior taxa de pagamentos intermédios, a seguir à Lituânia, entre os países com envelopes financeiros superiores a 7.000 milhões de euros, com mais oito pontos percentuais do que a média da União Europeia (53,7%).

Ate ao final de março, o país estava na terceira posição.

Entre todos os Estados-membros, Portugal ocupa o quinto lugar, atrás da Polónia, Itália, Espanha e França, que, no entanto, têm envelopes financeiros superiores.

Bruxelas transferiu 255.322 milhões de euros para os 28 Estados-membros, sendo que 6,3% desse montante foi para Portugal.

Relacionadas

Cerca de dois mil milhões de euros da bazuca europeia chegam “nos próximos dias” (com áudio)

Portugal já assinou os contratos de financiamento e empréstimos com a Comissão Europeia para receber o pré-financiamento do Mecanismo de Recuperação e Resiliência. João Leão e Nelson de Souza confiantes de que as verbas chegarão “nos próximos dias”.

“Recuperação económica tem de ser feita com os olhos postos no futuro”, diz António Costa

O líder do PS e primeiro-ministro, António Costa, salientou hoje que a recuperação económica do país “tem que ser feita com os olhos postos no futuro”, considerando essencial assegurar condições às novas gerações para se autonomizarem.
Recomendadas

Endividamento das empresas privadas em máximos de 2014

Desde março de 2014 que o endividamento das empresas privadas não atingia um valor tão elevado. No final de julho, as empresas do comércio e das indústrias eram as que mais contribuíam para este endividamento.

Novos limites da pesca da sardinha variam entre 1.575 e 4.725 quilogramas

Para as embarcações com comprimento superior a nove metros e inferior ou igual 16 metros o limite é 3.150 quilos (150 cabazes, quando aplicável).

OCDE admite que aumento da inflação pode persistir durante “algum tempo”

OCDE estima que os preços globais das ‘commodities’ em julho e agosto deste ano foram cerca de 55% mais altos do que no ano anterior. Organização admite que os aumentos dos preços das matérias-primas irá “demorar a desaparecer”.
Comentários