Portugal sobe sete posições no ranking mundial de talento e está entre os 20 primeiros

Este ranking, desenvolvido pelo World Competitiveness Center do IMD (International Institute for Management Development), conta com a colaboração exclusiva, em Portugal, da Porto Business School.

Jason Reed/Reuters

Portugal sobe sete lugares e encontra-se na décima sétima posição no ranking “World Talent Ranking 2018“, registando aumentos significativos em duas das dimensões avaliadas para a elaboração desta tabela.

Publicado pelo IMD World Competitiveness Centre do IMD (International Institute for Management Development), o World Talent Ranking, baseia-se no desempenho dos países em três categorias principais: investimento e desenvolvimento do talento local, atratividade e aptidão/nível de preparação do país.

No que concerne ao investimento e desenvolvimento do talento a nível nacional, Portugal mantém a posição alcançada em 2017 – 7ª posição no ranking dos 63 países avaliados – figurando entre os dez primeiros do ranking, nesta categoria. Já no que diz respeito à capacidade de atração de talento, regista uma subida de sete posições, relativamente a 2017. A subida mais expressiva diz respeito à categoria que avalia o nível de preparação, em que Portugal sobe nove lugares, passando a ocupar a 22ª posição.

Nesta 5ª edição do World Talent Ranking, os países da Europa dominam o top 10 com exceção do Canadá que ocupa a 5ª posição. A Suíça, na primeira posição, e a Dinamarca na segunda posição lideram destacadamente este ranking, seguidos pela Noruega, Áustria e Holanda.

A Noruega sobe quatro lugares, em relação ao ano passado, e entra no top 10 deste ano, graças à melhoria em indicadores como gastos públicos em educação e a disponibilidade da sua retenção de talentos. Canadá, Finlândia, Suécia, Luxemburgo e Alemanha completam o top 10. Em comum, estes países têm os grandes investimentos na educação e a sua qualidade de vida.

Relacionadas

Reitores promovem convenção para preparar próxima década do ensino superior

O Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP) anunciou a organização em 2019 de uma convenção que tem como objetivo ultrapassar “uma década de estagnação” e construir uma “nova agenda” para 2020-2030 que fortaleça o ensino superior.

Employer Branding: como podem as empresas atrair talento universitário e estrangeiro?

O talento escasseia rapidamente e já não basta colocar anúncios de emprego e esperar pelos candidatos. É neste enquadramento que surge o Employer Branding: reputação de um empregador enquanto local para trabalhar.

“É necessário um choque e tornar o Ensino Superior uma prioridade”

Em entrevista ao Jornal Económico, o presidente do CRUP aponta os maiores problemas das universidades, como o rejuvenescimento da academia, ação social e alojamento para os estudantes, e avança com algumas soluções. Diz que o OE2019 deve ser mais ambicioso.
Recomendadas

Penhora do reembolso do IRS: em que situações pode ocorrer?

Sabia que pode ser alvo de uma penhora do reembolso do IRS? Esta pode ocorrer não só por ter dívidas às Finanças, como também em situações de incumprimento a qualquer credor público ou privado. Descubra em que ocasiões pode acontecer este tipo de penhora e o que fazer nestas circunstâncias.

Segurança Social com formulário para empresas que queiram desistir do ‘lay-off’

A desistência pode abranger a totalidade do pedido, ou seja, desde o início, ou aplicar-se apenas a partir de data indicada pela entidade empregadora.

Crédito pessoal com problemas bancários. É possível?

O pedido de um crédito pessoal com problemas bancários pode não ser facilitado pelas instituições financeiras, mas nem sempre é negado aos consumidores. Fique a conhecer como é possível pedir um empréstimo nestas condições e como evitar situações de incumprimento.
Comentários