Portugal soma mais de 8,4 mil milhões em fusões e aquisições de empresas até novembro

As operações de M&A aumentaram nos primeiros 11 meses do ano, em termos homólogos, mas as compras no setor Imobiliário nacional tiveram uma retração de 2%, segundo o Transactional Track Record.

O mercado transacional português deverá fechar o ano em linha com os valores de 2018. Portugal registou 346 negócios de fusões e aquisições (M&A) entre os meses de janeiro e novembro de 2019, o que representa um aumento de 8,5% comparativamente ao mesmo período do ano passado.

Nos primeiros 11 meses do ano, 130 operações tiveram os seus valores divulgados, somando 8,4 mil milhões de euros, menos 7% em termos homólogos, segundo os dados do Transactional Track Record (TTR). Só o mês passado foram mapeadas 21 transações (menos cinco do que em novembro de 2018), num valor total de 143,89 milhões de euros.

À semelhança do que tem vindo a acontecer, os setores Imobiliário e Tecnológico continuam a ser ‘os reis e senhores’ das operações de M&A em Portugal. No entanto, desta vez, os negócios das casas e escritórios apresentam uma ligeira retração de 2% em número de deals. Por outro lado, a Tecnologia cresceu 27%, para 52 operações. Um dos segmentos que também se destacou foi o Financeiro, com uma subida de 15% em número (38 operações).

Os dois principais negócios ibéricos de novembro foram a aquisição de 50,1% da Ebury por parte do Santander [Espanha] e a conclusão da venda da Partex à PTTEP pela Fundação Calouste Gulbenkian [Portugal].

Entre as empresas estrangeiras investiram em organizações com sede em Portugal (cross-border inbound) lideraram, neste período, as espanholas, as norte-americanas e a britânicas. Já as portuguesas optaram principalmente por ir às compras em Espanha, em França e no Brasil.

“Os investimentos realizados por fundos de private equity somaram 33 negócios até novembro, o que representa redução de 15,38% se comparado ao mesmo período de 2018. Em relação aos valores investidos apenas oito destes negócios tiveram valores divulgados que somaram 1,59 mil milhões de euros”, pode ler-se no relatório do TTR.

Ranking de assessores jurídicos (janeiro a novembro 2019)

Sociedade de advogadosValor
Morais Leitão1.432 milhões de euros
RRP Advogados1.052 milhões de euros
Uría Menéndez – Proença de Carvalho658 milhões de euros

 

Ranking de assessores financeiros (janeiro a novembro 2019)

Instituição financeiraValor
J.P. Morgan Chase International Holdings808 milhões de euros
Arcano Partners600 milhões de euros
Mediobanca600 milhões de euros
Banco Santander409 milhões de euros
Ler mais
Recomendadas

Martim Menezes é novo sócio da Abreu

Advogado saiu da CCA para reforçar Contencioso e Comercial do escritório liderado por Duarte d’Athayde.

PremiumOptimal prevê mais operações após negócio da Frulact

Sociedade detida por José Maria Ricciardi, Jorge Tomé e Paulo Tenente assessorou o fundo Ardian na compra da Frulact. ‘Managing partner’ está otimista quanto à atividade em 2020 nas fusões e aquisições, e não só.

Mazars com crescimento de 10,4% do volume de negócios

Em Portugal, a Mazars registou um desempenho positivo em 2018/2019. No horizonte 2020 perspetiva-se que a conjugação do crescimento orgânico com operações de crescimento externo permita um crescimento a dois dígitos, acrescenta a empresa internacional de auditoria e consultoria.
Comentários