Portugal tem um novo portal para os vistos

Com o objetivo de simplificar os procedimentos para os pedidos de visto e respetiva emissão, o novo portal tem disponível mais informação sobre a entrada e a permanência no Espaço Schegen.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) lançou esta segunda-feira um novo portal de vistos, associado ao Portal Diplomático.

O novo portal pretende ser “o principal interface de comunicação entre o Ministério, os cidadãos, as organizações públicas e privadas, nacionais e internacionais, e demais utilizadores”, salienta o MNE em comunicado.

Com o objetivo de simplificar os procedimentos para os pedidos de visto e respetiva emissão, o novo portal tem disponível mais informação sobre a entrada e a permanência no Espaço Schegen.

Em 2017, Portugal emitiu 251,659 vistos a cidadãos estrangeiros, 223,666 dos quais vistos do tipo Schengen e 27,993 vistos nacionais. Entre os vistos nacionais emitidos, 14,756 foram destinados a estudo.

Relacionadas

Entram hoje em vigor alterações à regulamentação dos vistos Gold

Os primeiros detentores de vistos ‘gold’ estão agora a cumprir cinco anos, período mínimo que lhes permite avançar para o pedido de concessão de autorização de residência permanente em Portugal.

Vistos gold: Decreto regulamentar que introduz alterações em vigor na segunda-feira

Os primeiros detentores de vistos ‘gold’ estão agora a cumprir cinco anos, período mínimo que lhes permite avançar para o pedido de concessão de autorização de residência permanente em Portugal.
Recomendadas

Morreu Sindika Dokolo, marido da empresária Isabel dos Santos

O empresário congolês encontrava-se no Dubai, onde Isabel dos Santos havia postado uma fotografia na sua conta pessoal de Instagram na tarde desta quinta-feira.

Maior desafio do próximo século será reconciliar a biodiversidade com a economia, defende Comissão Europeia

Durante a terceira edição do Blue Bio Value, John Bell, um dos membros da Direção-Geral de Pesquisa e Inovação da Comissão Europeia considerou que o próximo passo da transição sustentável será reconciliar a biodiversidade com a economia. “Essa vai ser a tarefa mais desafiante do próximo século”, vincou.

António Costa defende que se “destruam os fantasmas da regionalização”

“É preciso destruir os fantasmas da regionalização, para que o país possa um dia pronunciar-se de novo sobre este tema, sem temores de aumento de despesa, multiplicação de lugares, etc. Porque é que os cidadãos não hão-de eleger os seus representantes regionais se já conseguimos que os autarcas o fizessem?”, questionou o primeiro-ministro.
Comentários