PremiumPortugal vai triplicar verbas para ação climática

Economia circular, mobilidade elétrica, telemedicina e aproveitamento da água estiveram em debate na cimeira das cidades do futuro.

A sustentabilidade foi o tema central da “Portugal Smart Cities Summit 2020”, que reuniu centenas de participantes, entre líderes políticos, gestores de multinacionais e empreendedores, de 22 a 24 de setembro, organizada pela Fundação AIP. As cidades inteligentes vão ser cada vez mais verdes.

Na abertura da cimeira, que contou com o Jornal Económico como media partner, com transmissão em streaming na plataforma JE TV, o ministro do Ambiente garantiu que o seu Ministério está “muito bem preparado” para o envelope financeiro que virá da Europa e que será canalizado para o Plano de Recuperação e Resiliência.

“Vamos passar de 3,3 mil milhões de euros para quase 10 mil milhões de euros de possibilidade de investimento, ou seja, vamos praticamente triplicar as verbas que vão ser canalizadas para a ação climática, ainda antes da opção das políticas portuguesas”, disse João Matos Fernandes, no evento que se realizou no Centro de Congressos de Lisboa.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Especialistas anteveem transição para cidades “humanizadas” e ligadas digitalmente

A necessidade de colocar os cidadãos no centro da resolução dos problemas deverá marcar as cidades do futuro, onde soluções inovadoras e disruptivas terão um papel central, mas com as condições de investigação e experimentação que permitam o seu teste aprofundado antes da implementação.

Medina: “Cidades continuarão a ser os grandes centros de produção de conhecimento, valor, emprego e investimento”

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa acredita numa cidade diferente no pós-pandemia, mas igualmente importante, virada para a sustentabilidade e focada na promoção de um modo de vida mais saudável.
Comentários