Portugal Ventures lança três calls temáticas: mar, ambiente e agricultura

As calls temáticas têm como objetivo para colmatar uma falha de mercado e alavancar soluções para problemas ambientais e sociais.

A Portugal Ventures lança um novo desafio aos empreendedores para apresentarem projetos inovadores, de base científica e tecnológica, nas áreas da economia do mar, economia circular e energia e tecnologia aplicada à agricultura. As candidaturas estão abertas até 31 de outubro.

A Call Blue Economy é lançada em parceria com o Fundo Azul, permitindo assim o complemento do investimento da Portugal Ventures com linha de financiamento deste Fundo, sob a forma reembolsável.
Também a Call Green Economy e a Call AgroTech tiveram em conta as prioridades nacionais em matéria de ambiente e transição energética, agricultura, florestas e desenvolvimento rural.

Para Rita Marques, CEO da Portugal Ventures, “A colaboração com os organismos públicos destes setores em Portugal está alinhada com as prioridades governamentais na procura de sinergias entre as várias entidades do estado no sentido de complementarem as ofertas de financiamento que cada uma apresenta, e desta forma colmatar a falha de mercado existente no apoio e investimento para projetos nestas áreas temáticas.

No futuro é nosso objetivo a criação de fundos de capital de risco específicos para estas áreas, o que irá potenciar o crescimento de oportunidades e de posição do nosso país na resolução de problemas ambientais e sociais.”.

Recomendadas

Porto Moniz cria incubadora de empresas

A autarquia vai ceder um espaço físico para as empresas puderem desenvolver as suas actividades e ainda acesso a parceiros que permitam a inserção num contexto empresarial.

Como podem as ‘startups’ atrair financiamento? Investidores deixam conselhos

Na maioria dos casos, os empreendedores terão apenas alguns minutos para conseguirem apoio dos investidores. Além de conseguirem explicar o que vão fazer com o investimento, os investidores aconselham os fundadores das ‘startups’ a conhecerem o negócio e o mercado em que operam na ‘ponta da língua’.

Lado humano das ‘startups’ é o que atrai os investidores de Silicon Valley a Lisboa

Da Silicon Valley a Lisboa, os investidores contactados pelo Jornal Económico gostam de apostar nas competências das equipas das startups que, na maioria das vezes, afiguram-se como um investimento de alto risco. Só depois olham paras se debruçam em análises financeiras e estratégicas dos projetos.
Comentários