Portugal volta aos mercados para angariar até 1.250 milhões de euros em dívida a três e 11 meses

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública avança na quarta-feira para o primeiro de três leilões de dívida de curto prazo no segundo trimestre. O leilão duplo tem um montante indicativo global entre mil milhões e 1.250 milhões de euros.

Portugal realizará dois leilões de Bilhetes do Tesouro (BT) no próximo dia 21 de abril, quarta-feira, informa a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) esta sexta-feira.

Em comunicado, o órgão faz saber que o leilão duplo de dívida de curto prazo se realizará pelas 10h30 e terá um montante indicativo global de 1.000 e 1.250 milhões de euros. As maturidades indicadas são de três e 11 meses, ou seja, com vencimentos a 16 de julho deste ano e a 18 de março de 2022.

O instituto havia já sinalizado este leilão, que se insere num grupo de outros dois com vista a angariar cerca de 4 mil milhões de euros até junho. Os seguintes realizar-se-ão a 19 de maio e 16 de junho, como informara a entidade liderada por Cristina Casalinho.

No último leilão, realizado no mês passado de março, a procura excedeu largamente a oferta. O leilão procedeu-se em moldes muito semelhantes ao agora anunciado, com duas linhas de montantes iguais aos disponibilizados no próximo dia 21, mas com maturidades de 6 e 11 meses. À ocasião, as taxas médias situaram-se nos -0,552% a 6 meses e -0,527% a 11 meses.

Recomendadas

Resultados do BCP impulsionam PSI 20. Bolsa em alta em linha com Europa

Entre as principais praças europeias, o alemão DAX soma 0,78%, o britânico FTSE 100 ganha 0,83%, o francês CAC 40 avança 0,60% e o espanhol IBEX 35 valoriza 0,81%.

Os preços, a Fed, os PMI e a Semapa. Hoje há “Mercados em Ação”, às 17h

Acompanhe o “Mercados em Ação” no site e nas redes sociais do Jornal Económico. E reveja-o através da plataforma multimédia JE TV.

Wall Street encerra sessão com principais índices a vermelho

Apesar dos principais índices terem encerrado todos a vermelho, o Nasdaq foi o único que registou uma melhoria face ao momento da abertura da sessão. Para a queda do Nasdaq contribuiu a desvalorização do Facebook e da Tesla.
Comentários