Português B: Futuro incerto para mais de 74 mil alunos

Está a ser estudada a hipótese de anulação de prova do exame nacional, depois de suspeitas de fuga de informação. Candidaturas ao ensino superior podem ser adiadas.

Jose Manuel Ribeiro/Reuters

Se o Ministério Público confirmar que houve fuga de informação sobre o exame nacional de português B, o exame pode ser anulado, obrigando 74.067 alunos a repetir o teste, deixando as famílias em dúvida em relação às férias assim como o adiamento do acesso ao ensino superior, escreve o Expresso.

Em causa está uma mensagem de voz que foi partilhada via Whatsapp, e que refere alguns temas que foram abordados no exame, através de uma “presidente de um sindicato de professores”, que costuma saber os tópicos dos exames em antemão.

Relacionadas

“Se isto não sair, não tenho nada a ver com isto, ok?”: Esta é a ‘áudio-cábula’ do exame de Português B

“É só estudar Alberto Caeiro e contos e poesia do século XX (…) e uma composição sobre a importância da memória”. Áudio circula nas redes sociais e já está a ser investigada pelo Ministério Público.

Possível anulação de exame preocupa docentes e alunos

Sindicato dos Professores da Madeira diz estar a ser contactado por estudantes apreensivos com eventuais atrasos nas candidaturas à universidade.

Ministério Público investiga fuga de informação no exame nacional de Português

O Instituto de Avaliação Educativa vai investigar uma alegada fuga de informação com o conteúdo da prova que foi divulgada nas redes sociais, de acordo com o jornal Expresso.
Recomendadas

Emissões de gases com efeito de estufa aumentaram 18% na União Europeia

Os responsáveis pela maior parte das emissões de gases com efeito de estufa foram a indústria e construção, o fornecimento de eletricidade e a agricultura (14%), divulga o Eurostat.

Projeto de 31 milhões de euros para proteção florestal vai beneficiar 15 mil hectares

O projeto terá em conta também a redução do risco de incêndio, com a diversificação e combinação de espécies, criação de faixas de gestão de combustível e vigilância regular.

Patrícia Akester defende que dissolução do Parlamento é oportunidade para rever proposta sobre direitos de autor

A dissolução da Assembleia da República interrompeu o processo de transposição da Directiva dos Direitos de Autor para a legislação portuguesa. Em entrevista ao JE, a especialista Patrícia Akester defende que esta é uma oportunidade para “melhorar a proposta”.
Comentários