Portugueses em Macau angariam mais de meio milhão de euros para ajudar Portugal

A iniciativa promovida por um movimento que junta quase duas dezenas de entidades e personalidades que definiram como prioridade a aquisição de equipamento que proteja todos aqueles que estão na linha da frente e a capacidade nacional de deteção de casos.

A comunidade portuguesa em Macau angariou mais de 4,6 milhões de patacas (530 mil euros) para comprar equipamento de proteção para os profissionais de saúde em Portugal e material que garanta mais testes à covid-19.

O montante recolhido ao longo de duas semanas é de 4.661.377,70 patacas, indicou à Lusa o presidente do Banco Nacional Ultramarino (BNU) em Macau, Carlos Álvares.

A iniciativa promovida por um movimento que junta quase duas dezenas de entidades e personalidades que definiram como prioridade a aquisição de equipamento que proteja todos aqueles que estão na linha da frente e a capacidade nacional de deteção de casos.

A conta aberta no BNU deveria estar aberta até 05 de abril. Contudo, o prazo foi prorrogado por mais dois dias e o saldo continuou a crescer, em especial após a entrega de dois cheques de valores avultados: um milhão de patacas (120 mil euros) doado pela Sociedade de Turismo e Diversões de Macau, fundada pelo magnata do jogo Stanley Ho, e meio milhão de patacas (60 mil euros) entregue pela Santa Casa da Misericórdia de Macau, indicou à Lusa o provedor da instituição, António José de Freitas, outra das entidades envolvidas na iniciativa.

Em Portugal há a registar 380 mortos e 13.141 pessoas infetadas com a covid-19. Dos infetados, 1.211 estão internados, 245 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 196 doentes que já recuperaram. Portugal encontra-se em estado de emergência desde 19 de março.

Recomendadas

Infografia | Lisboa e Vale do Tejo a ‘vermelho’. Concelhos de Lisboa e Sintra somam 77 infetados nas últimas 24 horas

Números revelados pelo último boletim epidemiológico Direção-Geral de Saúde mostram que a região de Lisboa e Vale do Tejo continua a liderar largamente os dados das novas infeções, sendo responsável por 90% dos infetados diários a nível nacional. Por concelhos, Lisboa e Sintra é onde se regista um maior crescimento do número de infetados por Covid-19.

Ministra admite que a precariedade na Cultura está “mais visível” mas sem solução “em dois meses”

Segundo a ministra, o Governo está “a trabalhar” e assumiu “o compromisso de, ao longo deste ano, resolver as questões laborais, de carreiras contributivas” ou “de descontos” destes profissionais, entre outras matérias.

Lisboa e Vale do Tejo com 90% dos novos casos

Os 382 novos casos reportados estão distribuídos regionalmente da seguinte forma: Lisboa e Vale do Tejo 345, Norte 21, Centro 10, Alentejo três, Algarve dois e Açores um. A Região Autónoma da Madeira não registou novas infeções nas últimas 24 horas.
Comentários