Portugueses gastaram 8,5 milhões por dia em raspadinhas, euromilhões e outros jogos

Este montante que ascende aos três mil milhões de euros representam um crescimento de 2,3% face ao ano anterior.

Os cidadãos portugueses continuam a apostar nos jogos disponível da Santa Casa da Misericórdia. Segundo os dados da instituição, divulgados esta terça-feira, os portugueses gastaram 3.097 milhões de euros em apostas em 2018.

Este montante que ascende aos três mil milhões de euros representam um crescimento de 2,3% face ao ano anterior. Ao todo, os portugueses gastaram perto de 8,5 milhões de euros por dia nos jogos da Santa Casa, como a Raspadinha, Euromilhões, Totoloto e Placard.

A Santa Casa da Misericórdia referiu que foram devolvidos 97,5% das vendas brutas à sociedade, que são os referidos três mil milhões de euros “um valor equivalente a 1,5% do PIB nacional”.

Apesar de o número não ser tão elevado como os ganhos da entidade, os apostadores conseguiram arrecadar uma soma de 1.833 milhões de euros em prémios. A estes prémios dos vencedores somam-se 180 milhões de euros em imposto de selo, 236 milhões de euros pagos a mediadores e comerciantes locais, além de 733 milhões de euros de receitas distribuídas pelos beneficiários, significando um aumento de 2,1% face a 2017.

A famosa raspadinha domina a preferência dos apostadores portugueses, por muitas vezes significar dinheiro fácil. Em 2018, as apostas neste jogo atingiu 1.594 milhões de euros, significando um aumento de 7,2% em comparação com 2017.

O jogo mais recente, Placard, parece ter conquistado os portugueses, sendo que as apostas superaram os 527 milhões de euros, estando representado um aumento de 4,9%. O euromilhões, por sua vez, apresentou um quebra de 5,4% em relação a 2017, atingindo um volume na ordem dos 850 milhões de euros.

O totobola continua a ser o menos adotado pelos portugueses, tendo gerado apenas seis milhões de euros, apresentando uma descida de 25,1% face ao ano anterior. A procura pelo totoloto desceu 2,5%, com apostas de 97 milhões de euros.

As apostas mútuas atingiram os 908 milhões de euros, mas registaram uma quebra de 6,9%. As lotarias nacional e clássica apresentaram crescimentos, embora com valores de apostas residuais no universo destes jogos da Santa Casa, respetivamente de 69 milhões, mais 7,9%, e 46 milhões, um aumento de 12,4%. A Lotaria Popular, por sua vez, fixou-se nos 23 milhões em apostas.

Ler mais
Relacionadas

Santa Casa com lucros de 33,3 milhões de euros em 2018, menos que em 2017

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa registou em 2018 um resultado líquido de 33,3 milhões de euros, menos 9,1 milhões do que o lucro em 2017. Edmundo Martinho, provedor da Santa Casa, explicou que a queda se deve à alteração da repartição do resultado líquido dos jogos sociais. O Estado recebeu em 2018 receitas do imposto de selo dos jogos sociais no valor de 180 milhões.
Recomendadas

Navigator nomeia dois novos administradores executivos

João Paulo Cabete Lé e Adriano Agusto Silveira são os novos administradores executivos no mandato do quadriénio em curso, com efeitos a 1 de Janeiro de 2020.

Jorge Calvete é o administrador judicial da Orey Antunes que pediu um PER

O prazo para a reclamação de créditos, começa a correr a partir da data da publicação do anúncio no Portal Citius, ou seja, 10 de dezembro de 2019. Os prazos são contínuos, não se suspendendo durante as férias judiciais.

Bankinter e COSEC assinam protocolo de distribuição de seguro de créditos

O objetivo é permitir às empresas a gestão do risco de crédito em condições mais seguras, cobrindo os prejuízos decorrentes do não pagamento das vendas a crédito de bens e serviços em Portugal e no estrangeiro.
Comentários