Portugueses recorrem cada vez mais ao crédito. 635 milhões em setembro

Os portugueses recorreram mais ao crédito no mês de setembro num total de 635 milhões de créditos contraídos. De acordo com uma nota publicada pelo Banco de Portugal esta sexta-feira, 15 de novembro, relativa à evolução dos novos créditos aos consumidores, os portugueses pediram um total de 295 milhões de euros em crédito pessoal, num […]

Os portugueses recorreram mais ao crédito no mês de setembro num total de 635 milhões de créditos contraídos. De acordo com uma nota publicada pelo Banco de Portugal esta sexta-feira, 15 de novembro, relativa à evolução dos novos créditos aos consumidores, os portugueses pediram um total de 295 milhões de euros em crédito pessoal, num crescimento de 18% face ao ano anterior.

Por sua vez, o número de contratos registou um crescimento de 10%, para um total de 40.940 contratos. O setor automóvel verificou pedidos de crédito no valor de 243 milhões de euros, numa subida de 6,9%, o que em termos contratuais se revelou num total de 17.108 contratos.

De acordo com o Banco de Portugal estes valores são provisórios e sujeitos a revisões, sendo que a informação é atualizada no dia 15 de cada mês ou no dia útil seguinte.

Recomendadas

Procura de empréstimos pelas empresas “aumentou fortemente” no segundo trimestre

Conclusões do inquérito aos bancos sobre o mercado de crédito indica que em termos de oferta os critérios de concessão de crédito a empresas e particulares tornaram-se mais restritivos face ao trimestre anterior.

Santander lança cartão digital para pagamentos contactless, QR Code e transferências MB Way

“Nos pagamentos com o telemóvel, os clientes do Santander são dos poucos no mercado que, através da app do banco, já podem utilizar o seu telefone com sistema operativo Android para fazer compras contactless em qualquer parte do mundo”, refere o banco liderado por Pedro Castro e Almeida.

Salários da CGD aumentaram em 2019 com início de pagamento de bónus

Os salários da administração da CGD cresceram para 3,6 milhões de euros no ano passado, um aumento de 22,5% justificado com o início de um programa de pagamento de remunerações variáveis, que já estava previsto, revelou o banco.
Comentários