PremiumPoupança continua “muito abaixo” da média da zona euro

Deco alerta: não existe reforço em produtos de aforro. Aumento da poupança para máximos históricos resulta da diminuição do consumo.

A falta de confiança, a par das medidas de confinamento, têm levado a um aumento das poupanças das famílias portuguesas com os depósitos nos bancos a voltaram a bater um novo máximo histórico. A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (Deco) alerta, porém, que não existe um reforço em produtos de aforro e que aumento da poupança resulta de uma diminuição do consumo.

Em janeiro, o valor total dos depósitos dos particulares atingiu um recorde de 162.800 milhões de euros, mais cerca de 8% face a janeiro do ano passado de acordo com o Banco de Portugal. Desde abril, início da pandemia, foram depositados nos bancos mais 8.600 milhões de euros pelas famílias em Portugal, em contraste com a situação das empresas, forçadas a utilizar as suas poupanças para fazer face à falta de procura e receitas e assegurar os seus custos fixos.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Subida do salário mínimo? “É prematuro assumir qualquer valor como definitivo”, diz Governo

A resposta surge depois de ser noticiado um eventual aumento de 40 euros. “A definição anual da atualização do SMN segue os procedimentos habituais, sendo objeto de discussão em sede de concertação social e com as estruturas sindicais”, explicam os ministérios das Finanças, Trabalho e Administração Pública.

PremiumJoão César das Neves: “Temos de pôr dinheiro no bolso das pessoas”

O economista César das Neves diz que o Plano de Recuperação é o “do costume”, dedicado a construção e burocracia, que se irá traduzir num “crescimento medíocre”. Defende a extensão das moratórias e alerta para o desafio da solvabilidade das empresas.

OMS denuncia desigualdades nas vacinas. Países ricos receberam 81% das doses (com áudio)

Enquanto que os países mais ricos já receberam mais de 80% das vacinas, os países com menores rendimentos só acumularam 0,3% das doses.
Comentários