Preço da eletricidade mais baixo

Tabelar a eletricidade com uma taxa normal de IVA foi uma atitude de total insensibilidade social, num período de elevadas dificuldades, tendo presente também que essa alteração fiscal afetou, também, o tecido empresarial, com o aumento dos custos de contexto e o preço de elevado número de bens.

A irresponsabilidade financeira dos governos da República e da Região Autónoma da Madeira, que trouxe a Troika e que levou à assinatura do PAEF (Plano de Assistência Económico-financeira), originou o aumento da tributação do IVA sobre a eletricidade, que se encontrava tributada em sede de IVA, à taxa reduzida e passou para a taxa normal.

Torna-se fundamental o cidadão entender que sempre foi um costume da 3.º República gastar muito mais para além daquilo que recebe, não esquecendo a três pré-bancarrotas.

Tabelar a eletricidade com uma taxa normal de IVA foi uma atitude de total insensibilidade social, num período de elevadas dificuldades, tendo presente também que essa alteração fiscal afetou, também, o tecido empresarial, com o aumento dos custos de contexto e o preço de elevado número de bens.

A Assembleia da República aprovou, a 16 de setembro de 2011, uma proposta de Lei, de revogação da verba 2.12 da lista I anexa ao código do Imposto Sobre o Valor Acrescentado, apresentada pelo Governo de então e que consistiu no aumento da tributação do IVA sobre a eletricidade de 6% (taxa reduzida) para 23% (taxa normal) no Continente e de 5% para 22% na Região Autónoma da Madeira (RAM). Essa alteração implicou um acréscimo de receita para a RAM estimada, só com a eletricidade, em 22 milhões de euros por ano.

O Programa de Resgaste Financeiro e a intervenção da Troika já chegaram ao fim, o PAEF, dizem, também terminou. No entanto, a medida nunca chegou a ser revertida.

Recomendadas

Ter radioterapia é uma vantagem para a Madeira, diz diretor de ginecologia do SESARAM

O responsável pela ginecologia/obstetrícia disse ainda pensar que Rafael Macedo estaria capacitado para realizar os tais 63 exames de medicina nuclear, durante a comissão de inquérito à unidade de medicina nuclear.

“Fala-se muito num hospital novo, mas as paredes não funcionam sozinhas”, Pedro Costa Neves

O médico refere que o Hospital Doutor Nélio Mendonça tem “problemas de perda de valências e de falta de referências” e que esta é a causa para uma “degradação dos cuidados que presta”.

Madeira vai reabilitar 27 habitações degradadas ao abrigo do programa PRID

O PRID visa conceder apoio a famílias que não têm acesso a crédito bancário de modo a procederem a obras na habitação.
Comentários