Preço das casas em Portugal cresceu 5,8% nos últimos doze meses

A cidade onde é mais caro adquirir um imóvel também continua a ser Lisboa (4.773 euros por metro quadrado). Seguem-se as cidades do Porto (2.978 euros por metro quadrado) e Funchal (1.991 euros por metro quadrado). Portalegre e Guarda são as cidades mais baratas, com o preço do metro quadrado abaixo dos 700 euros, segundo uma análise do Idealista.

O preço das casas em Portugal aumentou 5,8% nos últimos doze meses, de acordo com uma análise do Idealista, divulgada esta quinta-feira. Segundo a plataforma imobiliária comprar casa tinha um custo de 2.181 euros por metro quadrado, no final de março.

Todas as regiões do país registaram crescimentos nos preços dos imóveis, num ano marcado pela pandemia da Covid-19, com eexceção do Alentejo, cujos preços quebraram 2,3%. A maior subida verificou-se na Região Autónoma da Madeira (13,4%), seguida das regiões Centro (8,5%) e Norte (7,7%). No Algarve, os preços cresceram 6% e na Área Metropolitana de Lisboa 3%. Os Açores registaram a menor subida (2,6%).

Apesar de não ter sido a região a registar o maior crescimento de preços, as casas da Área Metropolitana de Lisboa continuam a ser as mais caras do país, com o preço por metro quadrado a ascender aos 3.098 euros. Seguem-se o Algarve (2.387 euros por metro quadrado) e a região Norte (1.850 euros por metro quadrado).

Os preços mais baixos dos imóveis encontram-se, segundo o Idealista, nos Açores e no Alentejo, onde o preço por metro quadrado das casas é 1.013 euros e 1.023 euros, respetivamente.

Observando os distritos e as regiões autónomas, os maiores aumentos tiveram lugar em Aveiro (15,6%),  Ilha da Madeira (13,5%), Vila Real (13,4%), Braga (11,9%), Setúbal (8,9%), Coimbra (8,4%), Porto (8,2%), Viseu (7%), Faro (6%) e e Ilha de Porto Santo (5,7%). Por outro lado, em Portalegre (-9,2%), Guarda (-3,1%), Évora (-2,7%) e Beja (-2,2%) foram os distritos que registaram maiores decréscimos.

Mais uma vez, apesar das taxas de crescimento, os distritos mais caros continuam a ser Lisboa (3.438 euros por metro quadrado), Faro (2.387 euros por metro quadrado) e Porto (2.170 euros por metro quadrado). Os preços mais económicos encontram-se em Castelo Branco (714 euros por metro quadrado), em Portalegre (661 euros por metro quadrado) e na Guarda (627 euros por metro quadrado).

A cidade onde é mais caro adquirir um imóvel também continua a ser Lisboa. Na capital de Portugal o preço por metro quadrado ascende a 4.773 euros. Seguem-se as cidades do Porto (2.978 euros por metro quadrado) e Funchal (1.991 euros por metro quadrado). Já as cidades mais económicas são Portalegre (648 euros por metro quadrado) e Guarda (679 euros por metro quadrado).

Ler mais
Recomendadas

DECO junta-se ao REFIL para incentivar reutilização de embalagens

Apesar de já se encontrar previsto o comércio de bebidas em embalagens reutilizáveis e de produtos a granel, os consumidores ainda não beneficiam de um mercado que lhes permita adquirir, nestes moldes, produtos de limpeza e higiene pessoal, forçando-os a optar por novas embalagens e aumentando, assim, a sua produção de resíduos, colocando em causa as metas portuguesas da sustentabilidade.

Fim da isenção de ISV para ligeiros de mercadorias recebida com desagrado pela ACAP

A Associação Automóvel de Portugal recebeu com desagrado o fim da isenção do Imposto sobre Veículos de mercadorias a partir de julho, medida que aumentará os custos em cerca de 3 mil euros, apenas em ISV.

Portugal com 6.º preço de gasolina mais caro da UE no primeiro trimestre

A carga fiscal aplicada em Portugal (63%) justificou integralmente a menor competitividade dos preços, tendo praticado um valor superior à média registada na UE (60%), em Espanha (55%), na Alemanha (61%) e na Bélgica (62%).
Comentários