Preços das casas em oito bairros de Lisboa já ultrapassam os cinco mil euros por metro quadrado

Chiado, Avenida da Liberdade, Barata Salgueiro, Baixa, Glória, Picoas, Bairro Alto e o eixo S.Paulo/Boavista/Conde Barão são as oito zonas da capital com preços mais elevados. O preço médio de venda das casas é de 3.870 euros/m2.

O preço médio de venda das casas já supera os 5.000 euros/m2 em oito bairros da cidade de Lisboa, de acordo com os dados mais do segundo semestre do SIR-Reabilitação Urbana, sistema estatístico gerido pela Confidencial Imobiliário, que cobre um total de 17 freguesias centrais de Lisboa.

Deste oito bairros a liderança pertence ao Chiado e Avenida da Liberdade, com preços médios de venda de 7.418 euros/m2 e 7.560 euros/m2, respetivamente. Acima dos 6.000 euros/m2, encontram-se o bairro Barata Salgueiro, com um preço médio de 6.690 euros/m2 e a Baixa, onde o valor chega aos 6.155 euros/m2.

Os bairros da Glória, Picoas, Bairro Alto e o eixo S.Paulo/Boavista/Conde Barão completam esta lista de oito bairros, com os preços médios a variarem entre os 5.250 euros/m2 e os 5.725 euros/m2.

Em relação ao período de homólogo de 2018, os dados mostram que eram apenas três os bairros onde o preço de venda das casas superava os 5.000 euros/m2, além de que o bairro mais caro ficava pouco acima dos 6.000 euros/m2, comparativamente com os 7.500 euros/m2 registados no segundo trimestre de 2019. Barata Salgueiro, com um preço de venda de 6.010 euros/m2, era o bairro mais caro de Lisboa, seguindo-se o Chiado e a Baixa, os outros únicos dois com preços acima dos 5.000 euros/m2, de, respetivamente, 5.856 euros/m2 e 5.127 euros/m2.

No total do território coberto pelo SIR-Reabilitação Urbana, o preço médio de venda das casas no segundo trimestre de 2019 ficou nos 3.870 euros/m2.

Recomendadas

PCP pede apreciação parlamentar do decreto que regulamenta a Lei de Bases da Habitação

Os comunistas consideram que o diploma contém “insuficientes medidas de operacionalidade” e defendem que é preciso “legislação mais avançada” para adaptar os programas 1.º Direito, Porta de Entrada e de Arrendamento Acessível, bem como para a orgânica do Instituto da Habitação.

Preço médio da habitação em Portugal fixou-se nos 1.187 euros\m2 no segundo trimestre

Este valor representa uma redução face ao primeiro trimestre (-1,4%) mas um aumento relativamente ao segundo trimestre de 2019 (+9,4%).

Avaliação das casas permaneceu nos 1.128 euros em setembro

Em termos homólogos este valor representa uma desaceleração, tendo a taxa de variação abrandado de 7,0% em agosto para 5,8% em setembro. Número de avaliações bancárias foi de cerca de 24 mil, mais 3,0% que no mesmo período do ano anterior.
Comentários