Preços do gás natural sobem para novos máximos de sempre nos mercados europeus

O preço do gás natural subiu hoje para novos máximos nos mercados europeus devido à forte procura à medida que o inverno se aproxima, especialmente na Ásia, mas também devido a uma oferta limitada e aos baixos ‘stocks’ existentes.

O preço do gás natural subiu hoje para novos máximos nos mercados europeus devido à forte procura à medida que o inverno se aproxima, especialmente na Ásia, mas também devido a uma oferta limitada e aos baixos ‘stocks’ existentes.

O preço de referência europeu, o TTF (Title Transfer Facility) holandês, aumentou por volta das 10h10 TMG (11h50 em Lisboa) para 135,00 euros por megawatt hora (MWh), mais 16,36% que no fecho de terça-feira, enquanto o preço do gás para entrega em novembro no Reino Unido subiu para 347,27 ‘pence pence per therm‘ (uma unidade de quantidade de calor), mais 18,15%.

Temporariamente, os preços europeu e britânico dispararam mais de 25% e atingiram 162,12 euros e 407,82 ‘pence per therm’, respetivamente, pouco antes das 08h30 TMG, tendo registado um aumento recorde.

“O atual aumento dos preços da energia na Europa é verdadeiramente único”, reagiram os analistas da Societe Generale, citados pela AFP, acrescentando que “nunca antes os preços da energia subiram tão alto e tão rápido”.

Numa entrevista com a AFP, o analista do Commerzbank Carsten Fritsch viu esta aceleração acentuada dos preços como um “movimento de pânico e medo” face aos baixos ‘stocks’ à medida que o inverno se aproxima no hemisfério norte.

A maioria dos observadores do mercado também apontam para a procura asiática, particularmente da China.

Os constrangimentos ambientais na extração de carvão levaram a graves carências energéticas, retardando algumas fábricas, e a uma súbita mudança na procura de gás na pior altura possível para a Europa, à medida que esta caminha para o inverno.

Os analistas do ING acrescentam a isto uma combinação de “preços elevados da eletricidade, fornecimento limitado da Rússia e a possibilidade de um inverno mais frio”.

De acordo com os peritos da Capital economics, citados pela AFP, os preços “são suscetíveis de se manterem elevados face aos registados no passado” a médio prazo.

Recomendadas

Poupanças dos portugueses subiram em ano de pandemia

A poupança dos portugueses subiu de 7,4% para 14,2% em período de pandemia mas a maioria não é rentabilizada porque está em depósitos à ordem e a prazo, conclui a Deco. O investimento em certificados de aforro teve um aumento, passando de 12 mil milhões em período pré-pandemia para 12,4 mil milhões em agosto de 2021.

Saiba como funciona e para que serve uma certidão de não dívida

Estes documentos podem ser necessários, por exemplo, se pretender solicitar um adiamento da prestação do crédito à habitação.

Saiba o que tem de fazer antes de assinar um contrato de arrendamento

Procure de forma intensiva todas as opções do mercado, visto que uma análise com mais ponderação e paciência pode fazer toda a diferença.
Comentários