Presidenciais: Marcelo perde três pontos e André Ventura volta aos 10%, aponta sondagem

O atual Presidente da República tem 67,7% das intenções de voto em agosto, de acordo com o estudo de opinião da Intercampus para o “Negócios” e “Correio da Manhã”.

Vítor Oliveira

Se as eleições presidenciais fossem hoje e contassem com Marcelo Rebelo de Sousa como candidato o atual chefe de Estado venceria com 67,7%, de acordo a sondagem da Intercampus para o “Negócios” e “Correio da Manhã” (CM), cujos resultados foram divulgados esta terça-feira.

Ainda assim, em agosto o atual Presidente da República perdeu praticamente três pontos percentuais em relação aos 70,8% alcançados no mês passado. Logo depois segue-se André Ventura, que duplicou para 10% as intenções de voto.

Na terceira posição surge a potencial candidata Ana Gomes, que passou de 9,7% em julho para 8,7% em agosto. Marisa Matias fica com 4,2% e Jerónimo de Sousa com 2,5%, segundo a informação recolhida pela Intercampus para o jornal de economia e CM.

A amostra deste estudo de opinião é constituída por 601 entrevistas a cidadãos portugueses com 18 e mais anos de idade, eleitoralmente recenseados e residentes em Portugal Continental. Os trabalhos de campo decorreram de 6 a 11 de agosto de 2020. O erro máximo de amostragem deste estudo, para um intervalo de confiança de 95%, é de ± 4% e a taxa de resposta obtida foi de 61%.

Recomendadas

PSD força audição de ministro Eduardo Cabrita sobre inquérito da IGAI

O PSD requereu hoje, sexta-feira, a audição parlamentar obrigatória do ministro Eduardo Cabrita sobre o inquérito da Inspeção Geral da Administração Interna (IGAI) relativa aos festejos do Sporting, e quer também explicações do presidente da Câmara de Lisboa.

PSD propõe aumentar número de círculos eleitorais

O documento com as linhas gerais da reforma do sistema eleitoral do PSD, hoje apresentadas pelo presidente, Rui Rio, e pelo vice-presidente David Justino em Pedrógão Grande (Leiria), foca-se na eleição dos deputados para a Assembleia da República.

NB: PCP votará contra relatório que isente governos do PSD/CDS e PS

“Consideramos que a maior falha está na ausência de uma responsabilização política dos governos do PSD/CDS e do PS nas decisões que foram tomadas relativamente ao Novo Banco”, criticou.
Comentários