Presidente da Lufthansa propõe aumento de capital de 5,5 mil milhões de euros (com áudio)

Este valor poderá dar à maior companhia aérea da Europa uma verba suficiente para substituir a chamada participação silenciosa da Alemanha, uma parte importante do resgate do governo de nove mil milhões de euros da Lufthansa.

O presidente executivo da Lufthansa fez uma proposta aos acionistas da companhia aérea alemã para um aumento de capital na ordem dos 5,5 mil milhões de euros para fazer face aos prejuízos causados pela pandemia de Covid-19 que afetou o tráfego de viagens no último ano, informa a “Bloomberg” esta terça-feira, 4 de maio.

Carsten Spohr pediu na reunião anual realizada hoje aos investidores que apoiem esta decisão, que permitiria autorizar a emissão de 2,15 mil milhões de novas ações ao preço nominal de 2,56 euros cada, cerca de um quarto do preço atual das ações da Lufthansa.

“Esta resolução tem como objetivo permitir aumentar o nosso capital de forma flexível para que possamos fortalecer os nossos índices de balanço novamente e regressar à nossa estabilidade financeira anterior”, afirmou Spohr no discurso feito aos acionistas.

Este valor poderá dar à maior companhia aérea da Europa uma verba suficiente para substituir a chamada participação silenciosa da Alemanha, uma parte importante do resgate do governo de nove mil milhões de euros da Lufthansa.

Para este que pedido seja aprovado terá de existir a votação favorável de uma maioria simples dos acionistas. A Lufthansa ainda não decidiu quando vai realizar este aumento de capital, mas poderá fazê-lo este ano caso as condições do mercado o permitam.

Com este pedido de 5,5 mil milhões de euros a Lufthansa ficaria a dever um total de dois mil milhões de euros aos governos da Suíça, Bélgica e Áustria, onde a companhia aérea também opera. A empresa já reembolsou mil milhões de euros do montante emprestado pelo banco estatal de desenvolvimento da Alemanha, KfW.

Ler mais
Recomendadas

Porto de Lisboa com protocolo de segurança para receber cruzeiros

No âmbito do processo de levantamento gradual das restrições impostas para travar a covid-19, “a partir das 00:00 horas desta segunda-feira e até às 23:59 horas de 30 de maio, é permitido o embarque, desembarque e licenças para terra de passageiros e tripulações dos navios de cruzeiro em portos localizados em território nacional continental”, lembra a Administração do Porto de Lisboa (APL), num comunicado hoje emitido.

“Senti como uma agressão. Um modo de agir preconceituoso e racista”. Deputada Romualda Fernandes reage a episódio com a Lusa

Citada hoje pelo Público, a deputada socialista refere que “infelizmente” não lê o episódio “como um lapso, ou como um erro”, porque no seu entender “reflete um pensamento, um modo de agir profundamente preconceituoso e racista” que sentiu “como uma agressão”.

Turismo em Portugal deverá crescer 20% a 30% em 2021, estima Governo

“Se tudo continuar a correr bem ao nível do plano de vacinação, do controlo das novas estirpes e do certificado verde digital, temos boas perspetivas para ficarmos neste ano 20% a 30% acima do ano passado”, realçou a governante em entrevista.
Comentários