Presidente da República defende que Serviço Nacional de Saúde merece “constante aposta”

O Presidente da República disse hoje que o Serviço Nacional de Saúde, que nasceu há 40 anos e que representa uma das conquistas do 25 de Abril, “merece constante aposta em objetivos, orgânicas e meios de atuação”.

Miguel A. Lopes / Lusa

Numa mensagem hoje divulgada no site da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa saúda os 40 anos do Serviço Nacional de Saúde considerando representar “uma das inegáveis conquistas do 25 de Abril de 1974 e da Democracia Portuguesa” que justifica a celebração, mas, não menos do que isso, merece “constante aposta em objetivos, orgânicas e meios de atuação”.

O Presidente da República, que, como deputado constituinte, votou a nossa Lei Fundamental, recorda ainda “o que ela representou de desenvolvimento humano e justiça social e sublinha a sua importância presente e futura, como peça-chave no sistema global de saúde e também como denominador entre os Portugueses, para além de divergências doutrinárias, ideológicas e partidárias”.

“Quanto ao Serviço Nacional de Saúde, assim como quanto a outras relevantes matérias de regime, o que une os Portugueses é muito mais do que aquilo que os divide”, disse, adiantando que “o princípio e o fim do Serviço Nacional de Saúde são os portugueses”.

A Lei n.º 56/79, que criou o SNS, foi publicada em Diário da República em 15 de setembro de 1979, concretizando o direito à proteção da saúde, a prestação de cuidados globais de saúde e o acesso a todos os cidadãos, independentemente da sua condição económica e social.

Relacionadas

António Costa evoca memória de Soares e Arnaut,”pai e mãe” do SNS

O secretário-geral do PS, António Costa, considerou que hoje é “um dia muito especial” e evocou a memória de Mário Soares e António Arnaut, “o pai e a mãe do Serviço Nacional de Saúde”, nascido há 40 anos.
Recomendadas
antónio_costa_silva_partex_4

António Costa Silva defende “pacto entre Estado e empresas”

António Costa Silva, gestor nomeado pelo primeiro-ministro para coordenar os trabalhos preparatórios do plano de relançamento da economia, defende, em entrevista à Lusa, um “pacto entre Estado e empresas” e um “equilíbrio virtuoso” com os mercados.

Costa Silva: Plano de recuperação económica deverá ser entregue no final do mês

O plano de recuperação económica terá “cerca de nove ou 10 pilares estratégicos” e deverá ser entregue “no final do mês”, disse António Costa Silva, gestor nomeado para coordenar os trabalhos preparatórios do plano de relançamento da economia.

PSD quer aumentar dedução do IVA com hotéis e hostels para promover férias em Portugal

A medida consta do programa de retoma económica apresentado esta quarta-feira pelo PSD e tem em vista incentivar os portugueses a dar preferência a férias em Portugal e contribuir para uma recuperação rápida do setor que foi fortemente prejudicado pela pandemia da Covid-19.
Comentários