Presidente da República desloca-se a Espanha a 1 de outubro

Marcelo Rebelo de Sousa vai participar no Fórum La Toja na Galiza. O evento vai contar com o Alto Representante da União Europeia para a Política Externa, Josep Borrell, mas também com os dois ex-primeiros-ministros Felipe González e Mariano Rajoy.

Miguel Figueiredo Lopes/Presidência da República handout via Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai visitar Espanha pela terceira vez desde a chegada da pandemia e desta vez marcará presença na abertura do Fórum La Toja.

Assim, a 18 de setembro, a Assembleia da República, deu “assentimento à deslocação de Sua Excelência o Presidente da República a Espanha, no dia 1 de outubro de 2020, para estar presente na abertura do Fórum La Toja”.

Na sua segunda edição, o Fórum La Toja – Vínculo internacional, o evento que decorrerá na Galiza, é classificado como “uma nomeação de referência no debate intelectual e académico”, no site da iniciativa.

Na página do evento consta ainda que, “o Fórum La Toja” propõe-se assim como um espaço de diálogo entre as duas margens do Atlântico, um convite a olhar em conjunto para os desafios que partilhamos, os problemas que devemos enfrentar e a possibilidade de o fazermos juntos”.

Este ano, os temas em debate estão relacionados com a pandemia. A reconstrução da economia espanhola, bem como a resposta da Europa à Covid-19 e digitalização antes e depois do vírus vão ser alguns do tópicos a abordar no evento que vai contar com Marcelo Rebelo de Sousa como convidado, mas também com o Alto Representante da União Europeia para a Política Externa, Josep Borrell, que vai discursar a 3 de outubro.

Segundo o jornal espanhol “Faro de Vigo”, uma das maiores atrações do Fórum La Toja será o encontro entre dois ex-presidentes do Governo da Espanha, Felipe González e Mariano Rajoy, numa conversa moderada por Míriam González Durántez, advogada especializada em Direito da União Europeia.

Esta é a terceira vez que o Presidente da República visita Espanha nos últimos meses. A 13 de junho, deu-se o encontro entre Marcelo Rebelo de Sousa, o rei espanhol Felipe VI, o primeiro-ministro, António Costa e o homólogo espanhol Pedro Sánchez, cuja celebração decorreu entre, avançou o “Expresso”.

Em julho seguiu-se a segunda deslocação do chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, em Madrid, para um “almoço de trabalho” com o rei de Espanha, Felipe VI, no dia 21.

Ler mais
Relacionadas
Marcelo Rebelo de Sousa no Infarmed

Marcelo espera que a pandemia sirva de lição e apela à ação climática

“A atual pandemia mostra, acima de tudo, que vivemos num só mundo, um mundo em que tudo está ligado, um mundo em que aquilo que acontece do outro lado do planeta acaba sempre por nos afetar, muitas vezes com efeitos dramáticos, como tem sucedido agora”, declara o chefe de Estado.

“Não tenham pressa em conhecer o resto do mundo”. Marcelo pede a portugueses que passem férias “cá dentro”

Além do apelo aos portugueses para que continuem a passar férias em território nacional até ao verão de 2021, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu ainda que a recapitalização do turismo “pode e deve ser feito com a ajuda do sistema bancário”.
Recomendadas

PAN: “Estado de Emergência não significa necessariamente que tenha que existir um confinamento”

Em declarações ao Jornal Económico, Inês Sousa-Real assinala que “o que importa neste momento é percebermos onde é que estão as cadeias de transmissão”, defendendo que proporcionalidade e adequação das medidas consoante as localidades e regiões.

“Não desistimos de nenhuma batalha antes de acabar”. PCP apresenta propostas de alteração ao OE 2021

Entre as medidas apresentadas, no campo da justiça fiscal, João Oliveira anunciou que os comunistas pretendem a “atualização dos escalões IRS, o aumento de mais um escalão neste imposto aumentando a progressividade do mesmo, bem como o aumento dos chamados valores do mínimo de existência e dedução especifica, permitindo cumprir o objetivo de redução da tributação dos rendimentos mais baixos, intermédios”.

Governo vai ter de responder a providência cautelar do Chega contra restrições à circulação sem estado de emergência

Supremo Tribunal Administrativo dá 24 horas ao Conselho de Ministros para se pronunciar sobre alegação de inconstitucionalidade da resolução que proíbe deslocações entre concelhos das 00h00 de sábado até às 06h00 da próxima terça-feira.
Comentários