Presidente e primeiro-ministro reuniram-se em Lagos

Da reunião, que aconteceu pela primeira vez na cidade algarvia, resultou a promulgação de três diplomas e a divulgação de uma mensagem de solidariedade com os brasileiros pelos fogos na Amazónia.

O Presidente da República e o primeiro-ministro estiveram reunidos durante cerca de duas horas no habitual encontro das quintas-feiras, realizado, pela primeira vez, na cidade algarvia de Lagos.

No final da reunião, que teve início pouco depois das 18h00 no edifício histórico do Mercados dos Escravos, tanto Marcelo Rebelo de Sousa como António Costa escusaram-se a prestar declarações aos muitos jornalistas que aos aguardavam, tendo o presidente remetido “algumas informações” para o sítio oficial da Presidência.

Poucos minutos depois, a página da internet do Palácio de Belém anunciava a promulgação de três diplomas e divulgava uma mensagem de solidariedade com o Estado e o povo brasileiros pelos fogos na Amazónia.

António Costa foi o primeiro a deixar o edifício, tendo respondido às solicitações de muitas pessoas, na maioria turistas, que o interpelaram para tirar fotografias.

Marcelo Rebelo de Sousa saiu minutos depois, por volta das 20h30, onde era aguardado por vários transeuntes para a habitual “selfie”.

O Presidente da República visitou também a exposição Leonardo Da Vinci – O inventor – 500 anos, patente na Messe militar, edifício contíguo ao local da reunião, antes de deixar o local já perto das 21h00.

Ler mais
Recomendadas

Paulo Pedroso anuncia no Facebook que deixa o Partido Socialista

“Eu hoje sou um socialista democrático, preocupado com o futuro do sindicalismo e desvinculado da militância partidária”, escreveu o socialista na sua página da rede social, segundo a Rádio Renascença.

PAN propõe criação de Registo de Transparência para regulamentar atividades de lóbi

O grupo parlamentar do PAN considera que a anterior iniciativa legislativa de regulamentar o lóbi foi “uma mera operação de estética” e propõe a criação de um Registo de Transparência e de um Mecanismo de Pegada Legislativa no quadro da Assembleia da República.

Joaquim Miranda Sarmento: “Nos próximos quatro anos é preciso trazer outra Autoeuropa”

Coordenador do programa económico do PSD obteve a concordância do parceiro de debate, o ex-deputado Paulo Trigo Pereira. E admitiu que seria muito mais difícil ver um grande projeto de investimento direto estrangeiro no interior de Portugal.
Comentários