Primeira semana do desconfinamento gerou aumento de vendas físicas, conclui SIBS

Em sentido contrário “registou-se um decréscimo nas compras ‘online’, menos quatro pontos base comparativamente com a semana de 27 de abril a 03 de maio, dos 98 para os 94 pontos base”, indicou a entidade.

Neil Hall/Reuters

A primeira semana de desconfinamento, no âmbito da pandemia de covid-19, registou um aumento das vendas físicas e uma redução nas compras ‘online’, adiantou esta terça-feira a SIBS, em comunicado.

“Na semana de 4 a 10 de maio, em pleno estado de calamidade, verificou-se um incremento significativo nas compras físicas, atingindo agora o valor mais elevado das últimas sete semanas, mas ainda assim 31 pontos a menos do que o número médio de compras antes da pandemia”, revelou a SIBS.

Em sentido contrário “registou-se um decréscimo nas compras ‘online’, menos quatro pontos base comparativamente com a semana de 27 de abril a 03 de maio, dos 98 para os 94 pontos base”, indicou a entidade na mesma nota.

A SIBS parte de uma “base de index 100, na qual 100 é equivalente à média diária do número de compras antes de ser registado o primeiro caso de infeção”, explicou.

Assim, os dados da semana em causa “evidenciam o maior aumento nas compras em loja no nosso país desde o início da pandemia: comparativamente à semana de 27 de abril a 03 de maio, houve uma subida de 10 pontos base, de 59 para 69 pontos, que corresponde a um incremento de 17%”, de acordo com o organismo.

Paralelamente, “à medida que se assiste à reabertura gradual da economia” nota-se uma “diminuição da preponderância dos setores dos super e hipermercados, pequena distribuição alimentar, bebidas e tabaco, farmácias e parafarmácias, no total de compras realizadas na rede Multibanco, representando agora 59% das compras”, adiantou a SIBS.

De acordo com os dados compilados pela entidade, verificou-se ainda uma utilização crescente do MB Way “atingindo o valor mais elevado neste canal desde que esta análise semanal começou a ser efetuada: mais sete pontos base do que na semana anterior e 30 pontos base acima do número médio de compras antes do covid-19”, lê-se na mesma nota.

Nas compras ‘online’ os setores com maior crescimento face ao período antes da pandemia continuam a ser o da restauração e entrega de comida, com um aumento de 71%, seguido pelo entretenimento e retalho alimentar, entre outros.

Em termos de gastos por cada compra na rede Multibanco, a “média subiu 4% para 39 euros, em comparação com os 37,5 euros da semana anterior; nas compras ‘online’, o valor médio desceu 0,5% para os 39,9 euros, comparado com os 40,1 euros na semana anterior”, de acordo com a SIBS, que adiantou ainda que os valores entre a semana de 04 a 10 de maio “continuam consideravelmente acima da média do período antes da pandemia: no canal físico o valor é 12,4% superior e no ‘online’ é 6,4% maior”.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 286 mil mortos e infetou mais de 4,1 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de 1,4 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.163 pessoas das 27.913 confirmadas como infetadas, e há 3.013 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Ler mais

Recomendadas

Plano de António Costa Silva visa portos, energia, digital e saúde

“Esta crise mostrou que o papel do Estado tem que ser mais valorizado, mais Estado na economia, o Estado é o último protetor contra todo o tipo de ameaças”, afirmou o gestor independente, que diz ser “favorável aos mercados”, convidado pelo primeiro-ministro para elaborar um plano de recuperação económica para o pós-pandemia Covid-19.

Câmara de Comércio Americana em Portugal debate desafios laborais no pós ‘lockdown’

A sessão de esclarecimento será conduzida por Alexandra Almeida Mota, advogada da BAS, especializada na área do Trabalho e da Segurança Social,

Primeiro-ministro confirma convite a António Costa e Silva para coordenar Programa de Recuperação Económica

“O professor António Costa e Silva foi convidado pelo primeiro-ministro para coordenar a preparação do Programa de Recuperação Económica”, referiu hoje o gabinete de António Costa, numa nota enviada à agência noticiosa nacional.
Comentários