Privatização da ANA comprometeu novo aeroporto de Lisboa

Ministro do Planeamento e das Infraestruturas defendeu hoje na Assembleia da República que a solução do Montijo deverá iniciar as obras em 2019 e estar concluída em 2021.

Cristina Bernardo

Pedro Marques, ministro do Planeamento e das Infraestruturas, disse hoje numa audição na Assembleia da República que um novo aeroporto para a região de Lisboa deixou de ser possível depois do anterior Governo ter optado pelo modelo de privatização da ANA.

“Com o modelo de privatização da ANA que o anterior Governo aplicou (recebimento do preço ‘à cabeça’ como receita extraordinária para baixar o défice), comprometeu-se a construção de um novo aeroporto de raiz financiado por taxas aeroportuárias”, denunciou Pedro Marques.

Perante este cenário, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas defendeu a solução da Portela, complementada pelo Montijo, sublinhando que só havia estudos efetuados pela concessionária ANA, controlada pelo grupo francês Vinci.

Mesmo tendo de esperar pelas conclusões destes estudos, Pedro Marques acredita que as obras para a transformação da base aérea do Montijo para aeroporto complementar do Humberto Delgado, Pedro Marques acredita que as obras poderão arrancar em 2019 e estar concluídas em 2021.

 

Recomendadas

5G: Começou hoje a segunda fase da migração das frequências da TDT

A segunda fase da alteração da rede de emissores da televisão digital terrestre (TDT) arrancou esta segunda-feira, 24 de fevereiro, em Vila Nova de São Bento, no concelho de Serpa, um passo essencial para a implementação da quinta geração móvel (5G).

EUA: coronavírus não prejudica, por enquanto, a ‘phase 1’ do acordo comercial com a China

O secretário do tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, reconhece que o coronavírus pode atrasar o início das negociações sobre o aprofundamento do acordo comercial com Pequim, mas garantiu não estar preocupado com esse cenário.
catarina_martins_bloco_esquerda_legislativas_1

BE quer subsídio de alimentação da Função Pública como referência para o setor privado

A medida consta de um projeto de lei apresentado pelos bloquistas, que visa que o subsídio diário de alimentação dos trabalhadores do setor privado não seja inferior ao que definido para os trabalhadores da Administração Pública.
Comentários