Produção de cereja deverá atingir o triplo do registado em 2020

Previsões de maio apontam para um rendimento unitário acima das 3,7 toneladas por hectare.

A produção de cereja em Portugal deverá atingir o triplo do registado em 2020 de acordo com o boletim de maio das previsões agrícolas divulgado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta segunda-feira, 21 de junho.

Também a produtividade do pêssego irá aumentar para níveis próximos da média dos últimos cinco anos, enquanto no arroz, com a possibilidade de utilização dos canteiros que tinham ficado por semear na campanha anterior devido às obras de intervenção no aproveitamento hidroagrícola do Vale do Sado, deverão registar novamente uma área semeada de 29 mil hectares.

Na produção de milho e apesar do significativo aumento da sua cotação no mercado internacional, que nos últimos dez meses quase duplicou graças a um crescimento da procura e a perspetivas pouco animadoras para a produção no Brasil e Argentina, as previsões apontam para uma manutenção da área instalada de 81 mil hectares.

Por sua vez, a plantação de batata registou um atraso devido ao frio intenso de janeiro e aos períodos muito chuvosos de fevereiro, sendo que apenas em março foi possível recuperar algum deste atraso. Deste modo, as previsões apontam para que a área plantada seja semelhante à do ano anterior (20 mil hectares).

Recomendadas

Governo lança projeto da barragem do Crato com um investimento previsto de 120 milhões de euros

O empreendimento está inscrito no PRR – Plano de Recuperação e Resiliência e será executado pela CIMAA – Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo, que junta os 15 municípios da região.

CAP contesta medidas sobre pagamentos e lamenta posição do Governo

A Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) contestou hoje as medidas sobre os pagamentos diretos para 2022, acusando o Ministério da Agricultura de desprezar “um leal e correto procedimento de consulta”, uma vez que estas não foram discutidas.

Exportações de azeite sobem 5% até junho e consumo recua, aponta associação

As exportações de azeite subiram mais de 5% para 94.161 toneladas no primeiro semestre, mas o consumo recuou, apesar de ser expectável uma manutenção dos níveis de 2020, avançou à Lusa a Casa do Azeite.
Comentários