Produção industrial cai 0,7% na zona euro, mas Portugal regista segunda maior subida

No conjunto das economias da União Europeia (UE), a quebra foi de 0,4%.

A produção industrial na zona euro caiu 0,7% em junho deste ano, face ao mês anterior, segundo as estimativas divulgadas pelo Eurostat, esta terça-feira, 14 de Junho. Em Portugal, registou-se uma subida de 1,1%, em contraciclo, o segundo maior crescimento entre os países da moeda única.

No conjunto das economias da União Europeia (UE), a quebra foi de 0,4%. As maiores quebras, que ajudaram a definir a tendência, registaram-se na Irlanda, com -8,9%, na Holanda (-1,3%) e na Hungria (-1,2%).

 

O Eurostat assinala que esta evolução se deve à quebra de 2,9% da produção de bens de capital, à descida de 0,6% na produção de bens de consumo não duráveis e de 0,5% na de bens intermediários.

Em termos homólogos (face a igual período do ano anterior), a produção industrial aumentou 2,5% na zona euro e 2,6% na UE. Portugal surge, de novo, em contraciclo, com uma quebra de 1%, a segunda mais pronunciada.

O Eurostat assinala que esta evolução, na Europa, se deve ao aumento de 4,4% da produção de bens de capital, ao aumento de 3,1% na produção de bens de consumo não duráveis e de 2,1% na de bens intermediários.

A produção de energia caiu 2,2%.

Ler mais

Relacionadas

Preços na produção industrial aumentaram 4,0% em junho

Os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) revelados esta quarta-feira mostram que os preços na produção industrial registaram uma subida de 0,8 pontos percentuais face a maio.

Produção industrial recua em Portugal, em contraciclo com zona euro

Na variação em cadeia, os principais avanços assinalaram-se na Lituânia (11,6%), na Suécia (3,4%) e na Irlanda (3,2%) e os recuos na Dinamarca (-2,8%), em Portugal (-2,0%), Estónia, Roménia e Reino Unido (-0,4% cada).
Recomendadas

Presidenciais: Mais de 80% dos inscritos para voto antecipado votaram no domingo

No total, estavam inscritos 246.880 eleitores para o voto antecipado que decorreu no domingo, uma semana antes das eleições para o Presidente da República.

Supermercados impedidos de vender livros, roupa ou brinquedos a partir de hoje

Este tipo de produtos pode ser vendido através de comércio eletrónico com entrega ao domicílio, ou pelos estabelecimentos que mantenham as portas fechadas, mas que vendam ao postigo ou através de sistemas tipo ‘click and collect’. A CIP já veio a público criticar esta decisão por considerar que “vem causar maiores danos económicos às empresas portuguesas”.

Candidaturas às linhas de apoio para empresas exportadoras da indústria e turismo e de montagem de eventos abrem hoje

Banco Português de Fomento abre esta segunda-feira as candidaturas para as novas linhas de crédito. A linha de apoio para as empresas exportadoras da indústria e do turismo tem uma dotação global de 1.050 milhões de euros, enquanto a linha de apoio às empresas de montagem de eventos tem uma dotação de 50 milhões de euros.
Comentários