Produção industrial caiu 2,9% em Portugal em novembro de 2018

Em relação à União Europeia a quebra foi de 1,3%. Em comparação com o mês anterior a produção industrial aumentou 0,1% tanto na zona Euro como na União Europeia.

Em novembro de 2018 a produção industrial registou uma queda de 2,9% em Portugal. No mês de outubro a quebra tinha sido de 0,5%, segundo as estimativas do serviço estatístico da União Europeia, Eurostat, divulgado esta segunda-feira.

No que diz respeito à zona Euro registou-se uma descida de 1,7%, e de 1,3% na União Europeia, no mês de novembro de 2018. Em comparação com o mês de outubro do mesmo ano, a produção industrial aumentou 0,1% tanto na zona Euro  como na União Europeia. Face a novembro de 2017, a produção industrial caiu 3,3% na zona Euro e 2,2% na União Europeia.

No que toca à produção de bens de capital baixaram 2,3%, os bens de consumo duráveis ​1,7%, bens intermediários 1,2%, os bens de consumo não-duráveis ​1,0% e a energia 0,6%, na zona Euro em novembro de 2018, quando comparado com o mês anterior.

Na União Europeia, a produção de bens de capital caiu 1,6%, bens intermediários 1,1%, bens de consumo duráveis 1,0%, bens de consumo não duráveis, 0,6% e energia, 0,5%, no mês de novembro de 2018, face a outubro do mesmo ano.

Entre os estados-membros para os quais o Eurostat tem dados disponíveis, as maiores quebras na produção industrial registaram-se na Irlanda (9,1%), Alemanha (5,1%), e Espanha (2,8%). Os maiores aumentos foram verificados na Estónia (7,9%), Polónia (5,3%) e Hungria (3,5%).

Recomendadas

Lisboa é a vencedora da Semana Europeia da Mobilidade 2018

O prémio chega a Lisboa pelas mãos do vereador da Mobilidade, Miguel Gaspar. Lisboa estava na corrida ao prémio desde o dia 26 de fevereiro deste ano.

António Ramalho: resolução do BES “não foi preparada totalmente”

“É uma resolução que tem o seu quê de premonitório e não foi preparada totalmente, não é uma decisão continuada”, considerou António Ramalho na Comissão de Orçamento e Finanças (COFMA), lembrando que foi uma decisão tomada no contexto de uma “potencial extraordinária corrida aos depósitos”.

ASF inicia processo de avaliação da idoneidade de Tomás Correia

O Conselho de Administração da ASF, em reunião realizada hoje, deliberou “determinar o procedimento com vista ao registo das pessoas que dirigem efetivamente, fiscalizam ou são responsáveis por funções-chave das associações mutualistas abrangidas pelo regime transitório”, lê-se na informação divulgada, dando assim seguimento à determinação do Governo, que clarificou o Código das Mutualistas.
Comentários