PremiumPrograma Apoiar vai dar mais subsídios

Um dos principais mecanismos no combate às consequências sociais e económicas da pandemia, o programa Apoiar.pt foi agora reforçado e incluirá mais subsídios a fundo perdido, revelou o ministro do Estado e da Economia, Pedro Siza Vieira, nesta quinta-feira.

Um dos principais mecanismos no combate às consequências sociais e económicas da pandemia, o programa Apoiar.pt foi agora reforçado e incluirá mais subsídios a fundo perdido, revelou o ministro do Estado e da Economia, Pedro Siza Vieira, nesta quinta-feira, 14 de janeiro. Este reforço passará por um aumento dos limites máximos a pagar, pela constituição de um apoio extraordinário e pela disponibilização antecipada da segunda tranche, num esforço de “aceleração” que o Governo indica querer ver efetivo.

Estas medidas servem “para que as nossas empresas possam proteger os seus fatores de produção e estarem prontas para responder à procura quando ela for retomada”, explicou o ministro.

O programa, que foi lançado a novembro do ano passado, já abrangeu 41 mil micro e pequenas empresas dos sectores mais afetados pela Covid-19, tendo agora sido alargado às de média dimensão. O Governo dispõe de 375 milhões de euros para estes apoios, dos quais já foram pagos 170 milhões. Para aceder ao mecanismo, as empresas terão de provar terem sofrido quebras de faturação homólogas superiores a 25%.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Covid-19: PCP quer apoios a 100% para pais “imediatamante e com efeitos retroativos”

Intervindo numa sessão pública, em Lisboa, Jerónimo de Sousa lamentou que “PS, PSD e CDS-PP” tenham rejeitado na Assembleia da República a proposta do PCP que previa “o pagamento do salário a 100% a quem está em assistência a filhos até aos 16 anos, enquanto as escolas se mantiverem encerradas”, devido à pandemia de Covid-19.

PremiumEconomistas alertam para risco de crise financeira

O volume moratórias de crédito quando comparado com o resto da Europa deixa antecipar fortes impactos na banca no pós-Covid.

PremiumUnião Europeia não pode continuar “em velocidade lenta”

O painel do Observatório “A Recuperação Económica depois da Covid-19” sobre ‘O papel da Europa e os desafios para o futuro no contexto global’ foi unânime em considerar que a UE deu, no contexto de combate à pandemia, mais uma prova da sua endémica lentidão.
Comentários