Programa comunitário Horizonte 2020 investe 30 milhões em Portugal

Em Portugal, a cooperação da Universidade de Coimbra, do Instituto Pedro Nunes, da Universidade de Newcastle Upon Tyne e da Universidade Medical Center Groningen, dará origem ao centro de excelência MIA-Portugal.

Alessandro Bianchi/Reuters

O programa de apoios financeiros comunitários Horizonte 2020 vai investir 30 milhões em Portugal.

“Portugal é um dos sete Estados-Membros que receberá investimento europeu por parte do Programa Horizonte 2020 para a criação de dois novos ‘centros de excelência’ de Investigação & Inovação”, destaca um comunicado do RAPID – Representação em Portugal da Comissão Europeia.

De acordo com esse documento, a Porto Business School e a Universidade de Montpellier serão parceiros no centro de excelênciaBIOPOLIS, “que fará avançar os conhecimentos biológicos dos genes até aos ecossistemas e permitirá utilizar esse conhecimento para dar resposta aos desafios societais mais prementes”.

“Também em Portugal, a cooperação da Universidade de Coimbra, do Instituto Pedro Nunes, da Universidade de Newcastle Upon Tyne e da Universidade Medical Center Groningen, dará origem ao centro de excelência MIA-Portugal. Este novo centro será o primeiro no domínio da investigação sobre envelhecimento no Sul da Europa e tem como objetivo melhorar a saúde e o bem-estar de uma população em envelhecimento, bem como beneficiar da excelência científica e potencial de inovação para gerar oportunidades de negócio”, assegura o referido comunicado.

Nas palavras de Carlos Moedas, Comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, “o talento científico está por toda a Europa, mas em algumas regiões da União Europeia não encontra terreno fértil para se desenvolver”.

“Queremos mudar esta realidade e é por este motivo que investimos 900 milhões de euros do Programa de Investigação e Inovação da UE para o desenvolvimento de parcerias e a criação de centros de excelência que ajudem os investigadores de talento a alcançar todo o seu potencial”, garantou Carlos Moedas

Segundo o referido comunicado, a Comissão Europeia vai investir 195 milhões de euros na criação e desenvolvimento de 13 novos ‘centros de excelência’ em sete Estados-Membros, “ajudando assim a impulsionar o desempenho da investigação e da inovação e a inspirar a comunidade científica a desenvolver novos produtos e processos em paralelo com os principais institutos científicos de toda a Europa”.

Para serem financiados pelo Programa-Quadro Horizonte 2020, o programa de investigação e inovação da UE, os 13 projetos estarão localizados na Bulgária (1), em Chipre (3), na República Checa (2), na Estónia (1), na Letónia (1), na Polónia (3) e em Portugal (2).

“Cada projeto receberá cerca de 15 milhões de euros após a assinatura da convenção de subvenção final com a Comissão, no segundo semestre de 2019. A subvenção permitirá que os novos centros de excelência formem parcerias com instituições científicas de ponta em toda a Europa, em domínios como a saúde, a investigação marinha e marítima, a produção industrial, a biodiversidade e os nanomateriais”, adianta o comunicado em causa.

O documento especifica que as 13 propostas de projetos foram selecionadas para financiamento a partir da vertente ‘Teaming’ do Programa Horizonte 2020 destinada a facilitar o reforço institucional nos países com baixo desempenho em matéria de investigação e inovação, esclarecendo que os projetos funcionam em estreita cooperação com as principais instituições científicas europeias.

“Está disponível um conjunto de medidas com um orçamento total de cerca de 900 milhões de euros para alargar a participação das universidades e organizações de investigação em países com menos atividades de Investigação & Inovação nos convites à apresentação de propostas do Programa Horizonte 2020. Estes incluem os instrumentos de ‘Teaming’, ‘Twinning’ e cátedras do CEI”, divulga o referido comunicado, acrescentando que “os Estados-Membros elegíveis para o ‘Teaming’ incluem todos os que aderiram à UE após 2004, mais Portugal e o Luxemburgo, bem como alguns dos países terceiros associados ao Programa Horizonte 2020”.

Ler mais
Recomendadas

Angolana Aenergy vai gerir elétrica pública do Gana durante 20 anos

A Aenergy, liderada pelo português Ricardo Machado, ganhou a concessão e vai realizar um investimento superior a 530 milhões de euros.

José Avillez abriu no Dubai mas fechou três restaurantes em Lisboa

A Cantina Zé Avillez, um dos mais populares, junto ao Campo das Cebolas também encerrou as portas ao público. Abriu em 2018 e o objetivo era servir almoços rápidos para a população lisboeta.

Quanto tempo tem de trabalhar para comprar um Ferrari exclusivo de 32 milhões? Messi só precisou de 4 meses

A revista Forbes divulgou esta semana os rendimentos dos desportistas mais bem pagos de 2019, e a Apuestas Deportivas decidiu analisar com quantas horas de trabalho é que as estrelas conseguiram pagar o seu automóvel de eleição
Comentários