Projeto ‘Go Jelly’ representa 6 milhões de euros para a Madeira

O presidente do executivo da Madeira salientou a Região como tendo dos centros mais avançados de aquacultura do país e alertou para o perigo da monocultura referindo que é importante existir diversificação.

O presidente do executivo madeirense, Miguel Albuquerque, acompanhou esta segunda-feira o lançamento do projeto ‘Go Jelly: A Gelatinous Solution to Plastic Pollution’, que representa 6 milhões de euros de verbas ao abrigo do programa Horizonte 2020.

Albuquerque referiu que o projecto ‘Go Jelly’ é uma “investigação pioneira” em cooperação com vários países em que através das alforrecas e do material gelatinoso se pode encontrar uma solução para combater “os microorganismo plásticos” que são das principais ameaças de poluição no atlântico.

Este projeto tem também outra vertente, em que a Madeira aplica 400 mil euros, em que se aproveita as alforrecas e se transforma esses animais para fins “químicos, medicinais, ou de alimentação”, explica Albuquerque.

“Estamos a ter um crescimento exponencial na aquacultura na Madeira”, realça o governante mas no entanto alertou para não se cair “na monocultura” que pode trazer problemas a médio e longo prazo. “É fundamental existir diversificação”, reforça Albuquerque.

Recomendadas

Funchal lança APP do Município na Semana da Mobilidade

No dia 21 de setembro, às 9h vai ser dado o tiro de partida da I Bike Paper do Funchal, na Praça do Município, uma prova organizada em parceria com a Europe Direct Madeira e a Associação de Ciclismo da Madeira.

Madeira: Cinema português em destaque na segunda edição do Festival Filmes no Terraço

Antes de iniciar cada sessão do Made In Portugal, vai haver duas curtas-metragens de vídeo-dança de artistas estrangeiros.

Jorge Figueira é candidato a presidente da seção regional da Madeira da Ordem dos Enfermeiros

“Não me lembro em 25 anos de profissão de ter visto outro bastonário ser tão proativo e intransigente na defesa da liberdade de imprensa, do direito de opinião e do pluralismo dos enfermeiros”, disse Jorge Figueira sobre a Ana Rita Cavaco.
Comentários