Preço dos prédios para reabilitação na zona ribeirinha de Lisboa disparou 47%

Analisando os valores globais no país, a promoção imobiliária e a reabilitação urbana registaram um investimento acima dos 750 milhões de euros este ano.

A subida dos preços dos imóveis na cidade de Lisboa nos últimos anos está bem documentada. Mas além da construção de novos imóveis, a reabilitação urbana também está a fazer o seu caminho, com a procura por prédios por reabilitar a crescer de forma assinalável, conforme demonstram os preços.

Os valores médios de transação de prédios urbanos para reabilitação urbana na cidade de Lisboa subiu 27% nos imóveis superiores a 500 metros quadrados (m2) para 2.760 euros/m2 no segundo trimestre deste ano face a período homólogo, segundo dados do Sistema de Informação Residencial (SIR), citados pela consultora imobiliária Cushman & Wakefield. Já nos imóveis inferiores a 500 m2, os preços subiram 18% para 3.320 euros/m2.

Das várias zonas da cidade de Lisboa, o centro histórico atingiu os valores médios mais elevados com preços de 3.530 euros/m2. No entanto, foi na zona ribeirinha que se verificou o maior crescimento desde o ano passado, com uma subida de 47% para 3.038/m2 nas propriedades com mais de 500 m2.

“A procura de oportunidades de reabilitação urbana e de promoção nova em Lisboa e no Porto nunca foi tão alta”, disse a diretora de promoção e reabilitação urbana da Cushman & Wakefield, Ana Gomes, sublinhando que “esta tendência deverá manter-se em 2020”. No entanto, a responsável destaca que “esta procura é cada vez mais direcionada para localizações menos centrais onde o investimento foi menor nos últimos três anos”.

Na cidade do Porto, os aumentos também são relevantes com os valores médios a crescerem 41% nos imóveis superiores a 500 m2 para 1.780 euros/m2 e 21% nos imóveis com dimensãio inferior para 1.920 euros/m2.

Já a zona da baixa portuense registou o valor médio mais elevado nos imóveis de dimensão superior a 500 m2 (2.756 euros/m2) seguida pelo Centro Histórico com 1.735 euros/m2.

Analisando os valores globais no país, a promoção imobiliária e a reabilitação urbana registaram um investimento acima dos 750 milhões de euros entre os meses de janeiro e julho de 2019. Esta é uma das principais conclusões apresentadas pela consultora Cushman&Wakefield, no seu último estudo dedicado ao setor imobiliário.

Este valor representa desde logo um aumento de 80% face ao registado em igual período do ano anterior, sendo que na base deste crescimento estão 35 negócios de aquisição de edifícios para reabilitação urbana ou de terrenos para promoção imobiliária, divididos entre as cidades de Lisboa e Porto.

O principal setor de dinamização do mercado imobiliário continua a ser o residencial, devido a uma sucessiva subida dos preços de transação dos prédios para reabilitação nas duas cidades. Em Lisboa, a habitação foi responsável por 67% da área de construção licenciada e 61% da área em licenciamento, enquanto o Porto, representou 67% da área de construção licenciada e 55% da área em licenciamento, nos meses em análise.

Ler mais

Relacionadas

Investimento francês continua a crescer enquanto a língua volta a ganhar espaço

O investimento francês em Portugal está em setores tão relevantes como a indústria automóvel e de componentes, a aeronáutica, a energia, o digital, as TI, as novas tecnologias ou a distribuição.

Rendas congeladas por cinco anos em Berlim para combater ‘boom’ imobiliário

O acordo entre os sociais-democratas do SPD, os Verdes e o Partido de Esquerda (Die Linke) permitem que o presidente da Câmara de Berlim, Michael Mueller, coloque o plano em vigor já no primeiro trimestre de 2020, após aprovação autárquica.

Câmara de Lisboa vai penalizar prédios abandonados com IMI mais pesado

Existem mais de três mil imóveis devolutos na cidade de Lisboa. A câmara municipal quer assim penalizar os fogos degradados e devolutos nas sete zonas de pressão urbanística.

Franceses campeões do investimento no imobiliário em Portugal no primeiro semestre

No primeiro semestre de 2019 os franceses foram os estrangeiros que mais investiram no imobiliário português, de acordo com o Gabinete de Estudos da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal. Investimento estrangeiro representa já cerca de 16% do total das transações no sector.

Corum Investments chega esta quarta-feira a Lisboa para investir em imóveis comerciais

A Corum inaugura escritório em Lisboa nesta quarta-feira. A empresa francesa vai também ter em Portugal o departamento de IT para servir o grupo todo.
Recomendadas

Portugueses recorrem cada vez mais ao crédito. 635 milhões em setembro

Os portugueses recorreram mais ao crédito no mês de setembro num total de 635 milhões de créditos contraídos. De acordo com uma nota publicada pelo Banco de Portugal esta sexta-feira, 15 de novembro, relativa à evolução dos novos créditos aos consumidores, os portugueses pediram um total de 295 milhões de euros em crédito pessoal, num […]
marcelo_rebelo_sousa_legislativas

Marcelo considera aumento do salário mínimo “razoável” e promulga hoje o diploma

O Presidente da República vai promulgar hoje o diploma que estabelece um aumento do salário mínimo nacional para 635 euros em 2020, que considera “uma solução razoável, a pensar na economia e na sociedade portuguesa”.

Exclusivo: Farfetch com ‘breakeven’ em 2021 é “cenário perfeitamente realista”, diz José Neves

Em entrevista ao JE, o CEO diz que a empresa ainda não tem ‘guidance’ oficial, mas vê como correta a estimativa dos analistas sobre o ‘breakeven’ ao nível do EBITDA daqui a dois anos. A melhoria da margem no terceiro trimestre mostra o caminho a seguir, diz, mostrando confiança numa subida das ações. Cotação do título dispara 33% na abertura em Wall Street.
Comentários