PremiumPropostas não vinculativas pela Brisa são esperadas até 19 de dezembro

O grupo José de Mello e o fundo Arcus, que controlam a maioria do capital, colocaram à venda 80% da empresa (40% cada um).

Os bancos de investimento mandatados pelos acionistas, grupo José de Mello e fundo Arcus, esperam receber as propostas não vinculativas (non-binding offers) para a compra dos dois lotes de 40% da Brisa, até dia 19 de dezembro, sabe o Jornal Económico. A venda de 80% da empresa pode render mais de 2,2 mil milhões de euros, sendo o negócio mais relevante no mercado português atualmente.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Covid-19: ‘Chef’ Vítor Sobral vai “acender uma velinha a Nossa Senhora de Fátima” para pagar salários

O Grupo Quina emprega cerca de 120 funcionários. Dois restaurantes foram encerrados, outros dois estão a funcionar em regime de ‘take away’, assim como as padarias. Vítor Sobral garante salários neste mês de março, mas não sabe como será no mês de abril.

Novo Banco vende “Rei dos Cogumelos” em plena crise

O Novo Banco, maior credor do grupo Sousacamp, com 49% dos créditos, acordou a venda do maior produtor ibérico de cogumelos ao Core Capital.

Covid-19: Kaeser garante assistência a equipamentos de ar comprimido de hospitais e da indústria

Além de cerca de três mil empresas do setor industrial, em Portugal a Kaeser trabalha com hospitais como o Grupo Trofa Saúde, Hospital Santo António, Hospital de Braga, Hospital de Santa Maria, Hospital de Gaia, Hospitais de Coimbra, Hospitais Lusíadas e Fundação Champalimaud.
Comentários