Prozis Tech Maia vai representar investimento superior a 15 milhões de euros

Já está em curso o processo de recrutamento para a entrada imediata de 300 colaboradores, sobretudo nas áreas da programação e dos sistemas informáticos.

O Prozis Tech Maia, um novo centro tecnológico de investigação e desenvolvimento, com capacidade para mais de 1.000 colaboradores, vai representar um investimento superior a 15 milhões de euros.

Já está em curso o processo de recrutamento para a entrada imediata de 300 colaboradores, sobretudo nas áreas da programação e dos sistemas informáticos.

“A escolha da Maia obedeceu a rigorosos critérios de seleção, tendo sido decisiva na criação do ambiente favorável ao investimento, a intervenção do Presidente da Câmara, Eng.º António Silva Tiago, bem como do Maia GO, assim como o potencial da interação com o TecMaia”, de acordo com o comunicado da Câmara Municipal da Maia e a Prozis Group.

“O Prozis Group sentiu-se atraído por fatores que no entendimento global da sua organização, corporizada pela comunidade de colaboradores que integra, são essenciais à criação de um ambiente colaborativo inspirador e estimulante”, esclareceu a empresa.

O líder europeu na venda online de suplementos alimentares, a Prozis prevê chegar aos 1.200 trabalhadores no centro de I&D do grupo, a abrir na Maia, e criar mais 400 empregos com a construção de uma nova fábrica no seu pólo produtivo instalado na Póvoa de Lanhoso.

Relacionadas

Maia Go: intenções de investimento superiores a 300 milhões de euros

Gabinete municipal de apoio ao investimento e à dinamização económica, faz um balanço do trabalho desenvolvido. Os números indicam que a aposta municipal é uma estratégia de referência.
Recomendadas

PremiumEndesa de olho nas barragens da EDP

Nuno Ribeiro da Silva está atento aos ativos que a EDP vier a colocar à venda no mercado, incluindo as barragens, eólicas e redes de distribuição. O líder da Endesa critica o modelo da tarifa social em vigor.

PremiumPatrick Monteiro de Barros: “Berardo foi financiado pela estratégia de domínio do BCP de Sócrates”

Empresário e ex-acionista do Grupo Espírito Santo diz que “Joe Berardo foi financiado para adquirir ações do BCP e fazer parte de um núcleo que iria dominar o banco na linha imposta pelo primeiro-ministro de então”.

PremiumNovo Banco vende mil milhões de malparado da Sogema e Ongoing

Os dois maiores devedores incluídos no pacote de créditos incobráveis que o Novo Banco pôs à venda com o nome de Nata 2, são a Sogema (540 milhões) e a Ongoing (590 milhões).
Comentários