PS supera direita toda junta e atinge melhor resultado desde as legislativas

Segundo um estudo da Eurosondagem para o Porto Canal e o semanário Sol, os socialistas lideram com 39% das intenções de voto, enquanto a direita toda junta obtém 36,9%, o mesmo resultado da coligação PSD-CDS nas legislativas de 2015. O Chega supera a CDU e passa a quarta força política.

Paulo Novais/LUSA

Se as eleições fossem hoje, o Partido Socialista (PS) voltaria a ser eleito, com mais votos do que a direita toda junta e com o melhor resultado desde as eleições legislativas de 2019. Segundo um estudo da Eurosondagem para o Porto Canal e o semanário Sol, os socialistas lideram com 39% das intenções de voto, enquanto a direita toda junta obtém 36,9%, o mesmo resultado da coligação PSD-CDS nas legislativas de 2015.

Na sondagem realizada entre segunda e quinta-feira, ainda antes do anúncio das novas medidas restritivas para travar os contágios com Covid-19, o Partido Social Democrata (PSD) sobe mais duas décimas do que nas legislativas, mas continua a 11 pontos percentuais do PS, com 28%. Segue-se o Bloco de Esquerda (BE) com 6,5%, menos três pontos percentuais do que nas eleições de outubro de 2019, sendo este o pior resultado registado desde então.

Já o Chega sobe para os 5,5% e passa a quarta força política melhor posicionada no ranking, à frente da Coligação Democrática Unitária (CDU). A coligação que junta o Partido Comunista Português (PCP) e o Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) fica a uma diferença de 0,2 pontos percentuais do Chega, com 5,3%, sendo que o erro da amostra da sondagem de 3,07%, um valor muito superior ao que separa os dois partidos.

O partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) continua em queda, com 2,2%, menos 1,1 pontos percentuais do que nas legislativas. O mesmo acontece com o CDS-PP, que com 2,1% fica a 2,1 pontos percentuais do resultado das eleições de 2019. Por fim, a Iniciativa Liberal regista nesta sondagem exatamente o resultado de 2019, 1,3%.

Assim, o PS obtém 32,2%, o PSD 23,1%, o BE 5,4%, o Chega 4,5%, a CDU 4,4%, o PAN 1,9%, o CDS-PP 1,7% e o Iniciativa Liberal 1,1%.

Há ainda 17,3% dos inquiridos que dizem ter dúvidas quanto às suas escolhas e 8,4% que não sabem ou não querem responder. O estudo foi efetuado entre segunda e quinta-feira através de 1.021 entrevistas validadas, tendo a amostra um erro máximo de 3,07% para um grau de probabilidade de 95,0%.

Ler mais
Recomendadas

Autárquicas: IL vai reunir-se com Moedas e quer PSD e CDS libertos de “hábitos socialistas”

O líder do PSD, Rui Rio, anunciou esta semana o ex-comissário europeu Carlos Moedas como candidato à Câmara de Lisboa nas próximas autárquicas, um “nome forte”, segundo o presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, e que reuniu “um sólido consenso entre as direções do CDS e do PSD”.

Fundadores da Tendência Esperança e Movimento desfiliam-se do CDS-PP

Abel Matos Santos e Luís Gagliardini Graça, que foram fundadores da Tendência Esperança em Movimento do CDS-PP, desfiliaram-se do partido. Abel Matos Santos chegou a integrar a atual direção executiva de Francisco Rodrigues dos Santos.

Autarcas independentes exigem alterações à lei eleitoral até 31 de março

Autarcas eleitos por movimentos independentes exigiram hoje que, até 31 de março, seja feita “a alteração das inconstitucionalidades” provocadas pelas modificações introduzidas em 2020, pelo PS e PSD, na lei eleitoral autárquica.
Comentários