PSD Madeira invoca interesse da região para abstenção no Orçamento do Estado

A clarificação contida no Orçamento do Estado sobre o financiamento do novo hospital foi um fator na decisão de abstenção dos deputados dos PSD Madeira leitos para a Assembleia da República. Contudo alertam para compromissos da República sobre a mobilidade aérea e marítima que não foram contemplados pelo Orçamento do Estado.

Os deputados do PSD, eleitos pela Madeira, para a Assembleia Legislativa da República, abstiveram-se na votação do Orçamento do Estado, invocando os interesses maiores da região, onde se inclui a clarificação sobre o financiamento do Novo Hospital.

“Temos como principal prioridade a defesa incondicional dos interesses dos madeirenses e porto-santenses. O nosso grande desafio é contribuir para que, rapidamente, todas as questões que estão por resolver, por parte do Governo da República, sejam finalmente resolvidas”, defendem os sociais democratas eleitos pela Madeira.

A clarificação por parte do Orçamento do Estado do financiamento do Novo Hospital da Madeira foi um factor que contribui para a abstenção dos deputados do PSD, onde se inclui a não dedução do valor dos Hospitais dos Marmeleiros e Nélio Mendonça ao financiamento que vai ser realizado pela República para a nova unidade hospitalar da Madeira.

Contudo ficam alguns reparos relativamente a compromissos assumidos pelo Governo da República que “ainda não têm reflexo” no Orçamento do Estado para 2020, onde se inclui a mobilidade aérea e marítima.

Os sociais democratas madeirenses fazem ainda referência ao adiamento de 2020 para 2021 da regulamentação do subsídio de mobilidade que permitiria aos residentes da Madeira pagar diretamente 85 euros pelas ligações aéreas com o território continental, a inexistência de “uma única referência” para o financiamento da ligação marítima entre Continente e Madeira.

“Não obstante acompanharmos as considerações do nosso Grupo Parlamentar no que diz respeito às prioridades e às más opções de política nacional do Governo socialista neste Orçamento, o interesse da Região Autónoma da Madeira sobrepõe-se”, indicam os deputados do PSD eleitos pela Madeira pela Assembleia da Republica.

Os mesmos deputados afirmam ainda que vão continuar a lutar para que “sejam cumpridos todos os compromissos assumidos” pelo Governo da República bem como as legítimas reivindicações dos habitantes da região autónoma.

Os deputados do PSD eleitos pela Madeira referem ainda que informaram sobre o seu sentido de voto o líder parlamentar do PSD.

Ler mais
Relacionadas

Oficial: Orçamento aprovado na generalidade com abstenção da esquerda e do PSD Madeira

Os três deputados da Madeira abstiveram-se, indo contra o sentido de voto do PSD nacional, que votou contra tal como o CDS, Chega e da Iniciativa Liberal.

Rui Rio sobre voto do PSD Madeira: “Lamento ter sabido pela comunicação social”

À saída do hemiciclo, Rui Rio reconheceu que apenas soube da posição dos deputados “esta manhã” e através da comunicação social.

PSD/Madeira vai abster-se na votação do OE 2020 na generalidade

A informação foi confirmada pelo presidente do Governo regional da Madeira, Miguel Albuquerque, depois de ter dito que, se as reivindicações do PSD/Madeira estiverem asseguradas no OE 2020, os deputados madeirenses não teriam “qualquer problema em aprovar o Orçamento”.
Recomendadas

Andebol, basquetebol, futsal, patinagem e voleibol regressam no dia 22 de agosto

As respetivas federações estiveram hoje reunidas, por videoconferência, com representantes da Direção-Geral da Saúde (DGS) e da Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto a “finalizar a análise ao Protocolo Orientador de Regresso aos Treinos e Competições – Covid-19”, que permita consumar as pretensões destas modalidades.

PSD quer reuniões quinzenais sobre situação epidemiológica no país

A bancada liderada por Rui Rio, que também é o presidente do partido, sublinha que é necessário “adotar, na nova fase que se avizinha, um novo modelo” que dê privilégio à “função parlamentar na defesa da saúde pública”.

Número de pessoas infetadas em Angola sobe para os 462

O secretário de Estado indicou que a percentagem de testes reativos é inferior ao que era previsto, sendo a maior parte pessoas que expressaram imunidade e “poucas pessoas que estão em fase ativa da doença”.
Comentários