PSD quer divulgação de dados mais detalhados sobre pandemia no país

O PSD recomendou hoje ao Governo a divulgação de dados mais detalhados sobre a pandemia da covid-19 no país, incluindo a discriminação de novos casos e óbitos por freguesia, bairro ou rua “quando a elevada incidência o justifique”.

Flickr/PSD

Num projeto de resolução entregue hoje na Assembleia da República, o PSD alega que o sucesso inicial do confinamento “não parece acompanhado, nos últimos meses, de uma estratégia de reabertura eficaz e que proteja a saúde pública”.

Para o partido é “incontestável” que o sucesso de qualquer estratégia depende da “correção, fiabilidade e suficiência da informação técnica e epidemiológica que em cada momento é disponibilizada”.

Tendo em consideração a evolução recente da covid-19 no país, bem como “a alteração do foco que a mesma requer em termos sociogeográficos”, sustenta, “importa evoluir para um sistema de informação que promova um exigente mas necessário escrutínio público ao modo de combate à pandemia”.

Assim, num projeto assinado pelo vice-presidente da bancada do PSD e médico Ricardo Batista Leite, o PSD recomenda a publicação “atualizada e diária” no ‘site’ da Direção-Geral da Saúde (DGS) da informação relativa à pandemia, começando pela divulgação de novos casos e distinguindo-os de “forma clara” dos casos suspeitos.

No que concerne à descrição dos novos casos, suspeitos e óbitos, é sugerida a discriminação por sexo, idade, “referência a eventuais comorbilidades”, por região de saúde, área metropolitana, concelho ou ainda por freguesia, bairro e rua “quando a elevada incidência o justifique”.

O projeto ‘laranja’ sugere a divulgação do número de doentes internados em hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS), incluindo nos cuidados intensivos, identificando as instituições em que se encontram e ainda o número de novos casos inseridos no SINAVE (Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica) que estão por confirmar e qual a sua distribuição geográfica.

A publicação da percentagem de novos casos “atribuíveis a surtos” versus casos “fora das cadeias de transmissão”, informação sobre curvas epidemiológicas por região de saúde, incluindo indicadores como o grau de transmissibilidade e o número médio de contágios ou as principais vias e locais de transmissão da doença (meio residencial, laboral, social, entre outros), são algumas das sugestões avançadas pela bancada social-democrata.

Por último, o PSD recomenda a divulgação da totalidade de testes realizados, quantos foram repetidos ou pela primeira vez, com a respetiva distribuição geográfica e ainda a evolução da capacidade de internamento de doentes nos hospitais, acompanhada da disponibilidade efetiva de camas do SNS dividida pelos três níveis de cuidados médicos (Básicas, Intermédias ou Intensivas).

Toda a informação referida “deve ainda ser enviada, quinzenalmente, à Assembleia da República”, conclui o projeto.

Portugal regista hoje mais três mortos e 290 novos casos de infeção por covid-19 em relação a quinta-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS).

Ler mais
Recomendadas

Marcelo e Costa felicitam Durão Barroso pela nomeação para presidente da Aliança Global para as Vacinas

Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que Durão Barroso é “mais um Português num cargo internacional particularmente relevante no atual contexto de pandemia coronavírus” e António Costa refere a importância da nomeação “num momento em que esta organização, que Portugal apoia, deverá ter um papel relevante na disponibilização de vacinas”.

Conselho de Estado considera UE uma “mais-valia” para Portugal num contexto “tão complexo e difícil”

Em reunião com a Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, os conselheiros do Estado defenderam o uso de todos os mecanismos para uma “recuperação sustentável e transformadora” e o reforço da participação cívica nas instituições europeias.

“É necessário alterar as atuais políticas agrícolas e comerciais”, diz João Ferreira na cimeira da ONU sobre biodiversidade

Para o candidato à Presidência da República, são precisas “medidas e mudanças concretas se o que queremos são resultados positivos também concretos, em vez de pias proclamações e da repetida constatação, cimeira após cimeira, do avanço da perda de biodiversidade”.
Comentários