PremiumPSD quer Moçambique na agenda da presidência portuguesa da União

Questão da insurgência jiadista em Cabo Delgado está longe de ser apenas moçambicana e resposta tem de ser enquadrada de forma global. Além dos contactos bilaterais, Portugal acompanha-a no âmbito da União Europeia.

O PSD quer que a questão da insurgência jiadista na província moçambicana de Cabo Delgado seja uma das prioridades da agenda do Governo de António Costa no primeiro semestre de 2021, altura em que terá em mãos a presidência do Conselho da União Europeia , depois de substituir o governo alemão, disse ao Jornal Económico (JE) o deputado Nuno Carvalho, coordenador do grupo parlamentar do PSD na Comissão de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas. Os sociais-democratas têm sido muito críticos da posição do Governo sobre a questão moçambicana – ou mais propriamente da falta dela, pelo que pretende instigar o Governo a dar resposta mais eficaz ao problema. Para isso, levará a cabo várias iniciativas, desde logo de âmbito parlamentar.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumMercado imobiliário manteve-se estável na região

Entre as zonas que despertam mais interesse destacam-se Câmara de Lobos e Calheta, e nas mais acessíveis estão São Vicente e Santana.

PremiumMão de obra migrante é chave no agroalimentar

Trabalhadores estrangeiros são cruciais para o sector e são necessárias políticas de integração mais eficazes, defendem especialistas.

PremiumO paradoxo dos países que ficam mais ricos

A agricultura tem desafio de captar e reter trabalhadores, mas também de os proteger.
Comentários