PSD quer que Uber e Cabify paguem taxa de 5% para operar

Será hoje discutida no parlamento a proposta dos sociais-democratas para regular o transporte de passageiros em veículos descaracterizados utilizado pelas plataformas eletrónicas.

Kai Pfaffenbach/Reuters

O PSD leva ao Parlamento esta quarta-feira uma proposta para regular o transportes de passageiros em transportes descaracterizados, como os da plataforma Uber e Cabify.

Os sociais-democratas pretendem que os veículos utilizados pelas plataformas electrónicas paguem uma taxa de 5%.

“Pagamento de uma taxa, que visa compensar os custos administrativos de regulação e acompanhamento das respetivas atividades e estimular o cumprimento dos objetivos nacionais em matéria de mobilidade urbana”, justifica a proposta de lei apresentada pelo grupo parlamentar do PSD.

Consta da proposta que os trabalhadores não podem exceder o tempo de trabalho em “mais de dez horas dentro de um período de 24 horas, independentemente do número de plataformas” para as quais preste serviços.

A proposta visa, ainda, a proibição dos veículos recolherem passageiros junto a praça de táxis.

Recomendadas

Bolsonaro vem a Portugal no início de 2020

Jair Bolsonaro, deverá visitar Portugal no início de 2020, disse hoje, em entrevista à Lusa, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo.

Deputadas do PSD perdem imunidade parlamentar e são constituídas arguidas

Emília Cerqueira e Maria das Mercês Borges respondem em processos relacionados com o registo de falsas presenças de José Silvano e Feliciano Barreiras Duarte e José Silvano em reuniões plenárias da Assembleia da República.

Revisão do Código do Trabalho aprovada apenas com votos favoráveis do PS

As bancadas do BE, PCP e PEV votaram contra o diploma, justificando a sua posição com o facto de não se reverem no texto final que foi hoje a votos e que consideram ter normas que são uma cedência do PS aos partidos à direita e às confederações patronais.
Comentários