PSD questiona ‘cativação’ no Ministério das Finanças de três milhões de euros destinados à ERC

Os social-democratas indicam que é o terceiro ano consecutivo que o Executivo de António Costa não cumpre o estipulado na lei e questionam quando é que a verba será transferida para a Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC).

rui_rio_psd
Tiago Petinga/Lusa

O Partido Social Democrata (PSD) enviou ao Governo um conjunto de questões sobre a alegada ‘cativação’ no Ministério das Finanças de três milhões de euros destinados à Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC). Os social-democratas indicam que é o terceiro ano consecutivo que o Executivo de António Costa não cumpre o estipulado na lei e questionam quando é que a verba será transferida para a ERC.

Tal como o Jornal Económico já tinha noticiado, em audição na Comissão de Cultura e Comunicação, na Assembleia da República, o presidente da direção executiva da ERC, Sebastião Póvoa, sinalizou que o Governo deve três milhões de euros a esta entidade. “Somos credores de três milhões de euros”, afirmou.

O orçamento da ERC é composto por verbas provenientes do Orçamento do Estado e por verbas provenientes de receitas próprias. Além disso, a ERC recebe ainda uma parte dos resultados líquidos de cada exercício anual da Anacom, cujo montante é, de acordo com a lei, “anualmente fixado, por portaria dos membros do Governo responsáveis pelas áreas das Finanças, das Obras Públicas, Transportes e Comunicações e da Comunicação Social”.

Na mesma reunião, o grupo parlamentar do PSD, através da deputada Helga Correia, considerou tratar-se de mais um caso de “cativações”. Já o coordenador do grupo parlamentar nessa comissão, Paulo Rios de Oliveira, assegurou, ao Jornal Económico, que iria questionar o Governo sobre o assunto.

“Pelo terceiro ano consecutivo, o Governo não cumpre o estipulado na lei. As verbas provenientes da Autoridade Nacional de Comunicações [Anacom] deveriam chegar à ERC por via do Ministério das Finanças, onde, sem justificação, se encontram retidas”, indicam os social-democratas, num conjunto de perguntas enviadas ao Ministério das Finanças, tutelado por Mário Centeno.

O PSD quer saber se o Governo confirma ou não a existência destes três milhões de euros retidos no Ministério das Finanças, de “transferências legalmente previstas da Anacom”, quais as razões para tal e quando é que essa verba será transferida para a ERC.

“Esta situação é grave e a nosso ver inaceitável. Tem como implicação direta, desde logo, impossibilitar a Entidade Reguladora do exercício das competências legalmente previstas”, defende o PSD.

Ler mais
Recomendadas
Grupo Parlamentar do PS

Morreu Miranda Calha, histórico da Assembleia da República e ex-governante socialista

Deputado por Portalegre entre 1975 e 2019, o socialista Miranda Calha foi ainda secretário de Estado do Desporto de António Guterres, e secretário de Estado da Defesa de José Sócrates. Não resistiu ao AVC que sofreu neste sábado.

Governo legaliza estrangeiros em situação irregular 

O diploma “determina que a gestão dos atendimentos e agendamentos seja feita de forma a garantir inequivocamente os direitos de todos os cidadãos estrangeiros com processos pendentes no SEF, no âmbito da covid-19” e argumenta com a necessidade de dar resposta aos pedidos destes estrangeiros em Portugal em situação irregular.

Marcelo apela a respeito pela contenção no período da Páscoa

É um apelo coletivo. No fundo, estamos perante uma tarefa coletiva, que estamos a viver, que estamos a vencer, porque a adesão dos portugueses é massiva, mas tem de continuar”, afirmou o Presidente da República.
Comentários