PSD vai pedir ao Tribunal Constitucional fiscalização sucessiva do regime especial de expropriações

O partido acredita que no decreto do Governo estão “violados os princípios da proporcionalidade e o direito da propriedade privada”.

O Partido Social Democrata (PSD) anunciou esta quarta-feira que vai pedir ao Tribunal Constitucional que proceda à fiscalização sucessiva do regime especial de expropriações.

Num comunicado divulgado na página do partido, o PSD apontou que “que o regime especial para expropriações e servidões administrativas no âmbito de projetos do Programa de Estabilização Económica e Social (PEES) é inconstitucional e vai requerer ao Tribunal Constitucional a sua fiscalização”.

Segundo o deputado Cancela Moura, o pedido de fiscalização ao Tribunal Constitucional justifica-se porque estão “violados os princípios da proporcionalidade e o direito da propriedade privada”. Este decreto do Governo “não respeita os princípios dos expropriados, nem da legalidade”, assegurou o social-democrata.

“Num Estado de direito, apesar da pandemia não pode valer tudo”, afirmou Cancela Moura, acrescentando estar “contra esta espécie de confisco. Contra esta perigosa arbitrariedade. Contra esta negação do Estado de Direito”.

Além do PSD, o bastonário da Ordem dos Advogados, Luís Menezes Leitão, também considerou o regime inconstitucional, como explicou à agência Lusa a 23 de fevereiro. Na altura, Luís Leitão referiu que “a requisição e a expropriação por utilidade pública só podem ser efetuadas com base na lei e mediante pagamento de justa indemnização”.

O diploma que autoriza o Governo a aprovar um regime especial aplicável à expropriação e à constituição de servidões administrativas foi aprovado no parlamento setembro de 2020.

Ler mais
Relacionadas

Bastonário dos Advogados considera inconstitucional regime especial de expropriações

O bastonário refere que a Constituição determina que “a requisição e a expropriação por utilidade pública só podem ser efetuadas com base na lei e mediante pagamento de justa indemnização”.

Regime de expropriações para obras públicas em vigor na quarta-feira

O objetivo do novo regime especial – em vigor quarta-feira até 31 de dezembro de 2022 – é acelerar expropriações, e a posse administrativa, necessárias as obras em equipamentos, redes e infraestruturas no âmbito do PEES, tendo em conta o impacto económico e financeiro da pandemia de covid-19.
Recomendadas

Rui Moreira sabe hoje se vai a julgamento no processo Selminho

A defesa de Rui Moreira, acusado de prevaricação, em concurso aparente com um crime de abuso de poder, incorrendo ainda na perda de mandato, requereu a abertura de instrução, fase facultativa que visa decidir por um Juiz de Instrução Criminal se o processo segue e em que moldes para julgamento.

Ministra da Justiça defende reforço do Estado de Direito

“A restrição de direitos e a exigência do normal funcionamento das instituições implicam responsabilidade e controlo”, afirmou Francisca Van Dunem, na abertura da Conferência de Alto Nível “O Estado de Direito na Europa”, promovida pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e pela Comissão Europeia, no âmbito da Presidência Portuguesa do Conselho da UE.

Sindicato dos Funcionários Judiciais inicia hoje greve parcial de uma hora

O Sindicato dos Funcionários Judiciais (SFJ) inicia esta segunda-feira uma greve parcial de uma hora diária durante 30 dias para reivindicar o estatuto profissional, revelando que a maioria dos trabalhadores, com 20 anos de carreira, ganha menos de mil euros.
Comentários