PSI-20 acompanha tendência europeia e encerra no ‘verde’

Na bolsa nacional, a sessão teve 13 subidas e 5 descidas. A Jerónimo Martins, a subiu 1,32%, para 15,76 euros. Por sua vez, a EDPR avançou 2,63%, para 10,16 euros.

Reuters

O PSI-20, principal índice da bolsa nacional, encerrou a sessão desta quarta-feira em alta, em linha com as congéneres europeias. A Jerónimo Martins e a EDP Renováveis (EDPR) impulsionaram a subida de 0,22%, para 5.005,80 pontos.

Vinte e quatro horas antes da reunião decisiva do Banco Central Europeu que decidirá o futuro do rumo da política monetária europeia, as principais bolsas europeias registaram uma sessão globalmente positiva, à exceção do espanhol Ibex 35.

O Eurostoxx 600, o índice de referência europeu valorizou 0,79%, para 389,48 pontos. Em Frankfurt, o DAX subiu 0,74%, em Paris, o CAC 40 avançou 0,44% e em Londres o FTSE 100  ganhou 0,96%.

Na bolsa nacional, a sessão teve 13 subidas e 5 descidas. A Jerónimo Martins, apesar do downside dos analistas do Banco de Investimento Global (BiG), com um preço-alvo de 13,17 euros por ação abaixo da cotação face ao encerramento na terça-feira, subiu 1,32%, para 15,76 euros. Por sua vez, a EDPR avançou 2,63%, para 10,16 euros.

Em contraciclo, a F. Ramada liderou as perdas, caindo 1,85%, seguind-se o BCP (-1,61%) e a Galp (-1,35%).

 

Relacionadas

Papeleiras, CTT e Mota-Engil impulsionam PSI 20

A sessão na bolsa nacional decorre sem cotadas a apresentar perdas na sessão desta quarta-feira.
Recomendadas

Wall Street arranca em baixa em sessão com tomada de mais-valias

A Tesla está em destaque na sequência de ter apresentado um lucro de 1,62 mil milhões de dólares no terceiro trimestre, negociando em contraciclo devido às contas positivas. As ações da empresa liderada por Elon Musk avançam 0,42% para 869,44 dólares.

Ações da Evergrande afundam 12% em bolsa depois de negócio falhado

A falha na concretização de ativos no valor de 2,2 milhões de euros caíram por terra esta quarta-feira, depois da Evergrande ter anunciado que o negócio foi interrompido porque “tinha motivos para acreditar” que o comprador “não cumpriu o pré-requisito” para fazer a oferta.

Credit Suisse e BlackRock lançam fundo que aposta na saúde e bem-estar

O Crédit Suisse e o BlackRock lançaram um Fundo de Private Equity de Impacto com enfoque na saúde e bem-estar e registaram-no também em Portugal. O Fundo de Saúde e Bem-Estar é um Fundo de Impacto, que é a última tendência dos fundos de investimento. São fundos que visam dar retorno ao acionista, mas também fazer o bem para a sociedade e meio ambiente.
Comentários