PSI-20 com ligeira subida depois de impasse do Eurogrupo em encontrar resposta para a Covid-19

O PSI-20 manteve-se praticamente inalterado, com uma ligeira subida de 0,05%, em contra-ciclo com a tendência de queda registada entre as principais bolsas europeias. Mota Engil, CTT, Semapa e BCP lideraram os ganhos em Portugal.

O impasse que se verificou na reunião do Eurogrupo penalizou as bolsas europeias. Numa reunião de 16 horas, a intransigência do ministro das Finanças holandês impossibilitou um acordo, e mostrou-se inflexível na sua posição: defende que os países que recorram ao fundo de resgate para fazer face à crise do novo coronavírus se comprometam com alguma disciplina orçamental, com um regresso às contas certas.

Para Ramiro Loureiro, analista de mercados do Millennium bcp, “falta de entendimento dos Ministros das Finanças da União Europeia para a criação de uma estratégia para mitigar o impacto económico da pandemia acabou por castigar os mercados de ações”.

O PSI-20 encerrou praticamente inalterado, com uma ligeira subida de 0,05%, para os 4.071,37 pontos, em linha com o índice pan-europeu EuroStoxx 600, que avançou ligeiramente 0,01%.

Entre as principais praças europeias, só o índice francês CAC 40 registou um desempenho positivo, com uma subida de 0,10%. De resto, em Londres, o FTSE 100 perdeu 0,85%, em Madrid o Ibex 35 caiu 0,72%, em Frankfurt o Dax perdeu 0,23% e o italiano FTSE Mib cedeu 0,18%.

A Organização Mundial do Comércio estimou que, num cenário pessimista, a queda do comércio mundial devido à crise da Covid-19 poderá ser mais a profunda desde a Grande Depressão de 1929, o que terá penalizado o sentimento.

Por cá, entre as 18 cotadas no PSI-20, a Pharol e a Ren mantiveram-se inalteradas, seis caíram e dez registaram ganhos.

A Mota Engil liderou os ganhos, subindo 4,5o%, para 1,30 euros por ação. Os CTT avançaram 2,01%, para 2,29 euros por ação e o BCP valorizou 1,86% para 0,0985 euros por ação. A Semapa também teve um dia positivo, valorizando 1,14% para 8,84 euros por ação.

A liderar as perdas estiveram a Galp e a Jerónimo Martins, com perdas de 0,55% e 2,13%, respectivamente. A petrolífera emitiu uma nota ao mercado esta quarta-feira esperando que ” as despesas operacionais e de investimento sejam reduzidas em mais de 500 milhões por ano durante 2020 e 2021″.

Nas matérias-primas, o preço do petróleo está a subir. Em Londres, o barril de Brent avança 1,13%, para 32,23 dólares e, nos Estados Unidos, o West Texas Intermediate sobe 3,09%, para 24,36 dólares.

Ler mais

Relacionadas

Bolsa portuguesa cai em linha com Europa. Galp e BCP penalizam PSI 20

O principal índice bolsista português perde 0,72%, para 4.040,24 pontos, penalizado pela Galp e pelo BCP.

Papeleiras e BCP impulsionam PSI-20 que acompanha congéneres europeias nos ganhos

Desde o início do surto da Covid-19, a China não registou mortes e, na Coreia do Sul, registou-se o segundo dia consecutivo com menos de 50 novos casos de infeção. A situação impulsionou o sentimento do mercado na Europa, beneficiando o PSI-20, que foi também impulsionado pelos ganhos expressivos da Semapa, Navigator e do BCP.
Recomendadas

Credores privados dizem que cobrar juros é essencial para manter ‘ratings’ 

Em causa está a assunção por parte de algumas agências de ‘rating’, como por exemplo a Moody’s, de que se os credores receberem menos do que o inicialmente contratualizado, isso configura um incumprimento financeiro, independentemente das razões e mesmo com o acordo dos credores.

Dados surpreendentes do emprego deram gás a Wall Street

Na última sessão da semana o Dow Jones disparou 3%, mas o recordista foi o tecnológico Nasdaq. O ‘rally’ deveu-se aos ganhos da banca e das companhias aéreas e de cruzeiros, das mais penalizadas durante o confinamento.

CMVM levanta suspensão da negociação das ações da SAD do FC Porto

A decisão surge depois de a SAD anunciar o adiamento do reembolso do empréstimo obrigacionista para 2021.
Comentários