Publicado diploma do Governo que reforça comparticipação da Segurança Social em 2%

Diploma que reforça a comparticipação financeira da Segurança Social foi publicado esta segunda-feira em Diário da República. A medida consta no Programa de Estabilização Económica e Social (PEES) e tem como objetivo compensar os gastos das instituições do setor social com as medidas de contingência devido à pandemia da Covid-19.

O Governo reforçou em 2% a comparticipação financeira da Segurança Social em 2020, de acordo com um diploma publicado esta segunda-feira em Diário da República. A medida consta no Programa de Estabilização Económica e Social (PEES), aprovado pelo Conselho de Ministros em junho, e tem como objetivo compensar os gastos das instituições do setor social com as medidas de contingência devido à pandemia da Covid-19.

“A comparticipação financeira da segurança social, devida no âmbito dos acordos de cooperação celebrados para as respostas sociais (…), é reforçada em 2% no ano de 2020 face ao valor previsto no anexo i da Portaria n.º 88-C/2020, de 6 de abril, desde que não sejam financiados pelas verbas dos Jogos Sociais (PARES), ou celebrados no presente ano”, lê-se na portaria do Ministério das Finanças.

O documento assinado pelas secretárias de Estado do Orçamento, Cláudia Joaquim, e da Ação Social, Rita da Cunha Mendes, indica que este reforço extraordinário destina-se “às instituições particulares de solidariedade social ou legalmente equiparadas, para as respostas sociais Estrutura Residencial para Pessoas Idosas, Lar Residencial, Residência Autónoma e Serviço de Apoio Domiciliário para pessoas idosas e para pessoas com deficiência”.

A medida tem como objetivo de apoiar as instituições a fazer face aos custos extraordinários decorrentes da pandemia da Covid-19, que obrigaram as instituições do setor social a desenvolver “respostas sociais de apoio às pessoas mais vulneráveis” e a aumentar despesas “para implementar medidas de contingência e de prevenção, bem como de reforço de recursos humanos”.

No Programa de Estabilização Económica e Social (PEES), aprovado pelo Conselho de Ministros a 6 de junho, já estava previsto o reforço excecional em 2020 da comparticipação financeira da Segurança Social.

Recomendadas

Wall Street aguenta, mas perdeu fôlego ao longo do dia

Os principais índices do outro lado do Atlântico estiveram a subir, mas no final do dia acabaram por ceder. Mesmo assim, dizem os analistas, os investidores continuam a confiar em novos estímulos à economia.

Remuneração base média sobe 3,3% na função pública para 1.533 euros em abril

Segundo os dados da Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP), “em abril de 2020, o valor da remuneração base média mensal dos trabalhadores a tempo completo no setor das administrações públicas situava-se em cerca de 1.532,7 euros”.

Número de funcionários públicos aumenta em mais de 15 mil no 2.º trimestre

De acordo com os dados da Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP), “a 30 de junho de 2020, o emprego no setor das administrações públicas situou-se em 705.212 postos de trabalho, assinalando um aumento de 2,2% face ao trimestre homólogo e 0,2% face ao trimestre anterior”.
Comentários