PwC adota eletricidade 100% renovável nos seus escritórios em Portugal a partir de março

A consultora pretende colocar em prática o plano para uma operação neutra em emissões de gases de carbono, um objetivo que tem como prazo o ano de 2030.

Focke Strangmann

A consultora PwC decidiu acelerar um dos seus objetivos de sustentabilidade e avançar já com a transição para a eletricidade verde nos seus escritórios de Lisboa e Porto, como informa a consultora em comunicado, que toma a 1 de março um passo previsto até ao final de 2030.

O compromisso, intitulado Net Zero 2030, passa pela adoção de energia elétrica proveniente de fontes 100% renováveis, de forma a reduzir em pelo menos 50% as emissões de gases de carbono da empresa, bem como a compensação das emissões inevitáveis.

Assim, a consultora pretende “consumir apenas energia renovável e otimizar o consumo de energia, implementar boas práticas para potenciar a redução das nossas deslocações, aumentar o trabalho à distância dentro das nossas equipas e nos projetos com clientes, trabalhar com os nossos fornecedores e/ou clientes para que eles próprios se comprometam a contribuir para a redução das emissões de gases com efeito de estufa, potenciar a criação de políticas mais sustentáveis nas comunidades onde nos inserimos e, ainda assim, compensar eventuais emissões remanescentes”, como se pode ler na sua comunicação.

Este é o primeiro passo de um esforço global que tem assim uma das suas medidas implementadas em Portugal, onde a consultora multinacional está presente com escritórios em Lisboa e Porto.

Recomendadas
luís_menezes_leitão_bastonário_ordem_advogados

Ordem dos Advogados vai iniciar revisão dos estatutos

A entidade liderada por Luís Menezes Leitão deliberou ainda, em reunião do Conselho Geral esta sexta-feira, que irá averiguar eventuais situações de incompatibilidade de advogados nos conselhos superiores do Ministério Público.
antónio_costa_silva_partex_4

Sérvulo promove encontro com António Costa e Silva

A Sérvulo promove na próxima semana uma conferência online que conta com a participação de António Costa e Silva, o autor do documento que serve de base ao Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030. Assista ao evento no próximo dia 11 de março, na JE TV. Os leitores do Jornal Económico poderão enviar questões para colocar aos oradores.

“Direito de desconexão poderá ser um mecanismo interessante”, defende coordenador da área laboral da PLMJ

As refeições e o trabalho são feitos no mesmo espaço físico, mas é necessário existir uma separação e equilíbrio entre a vida pessoal e profissional para evitar um burnout. A advogada Carmo Sousa Machado defende que no futuro se vão verificar “consequências inevitáveis” do teletrabalho.
Comentários