Quais os desafios da Madeira para os próximos anos? Assista ao programa “Primeira Pessoa” com Paulo Cafôfo

O líder do PS-Madeira conquistou a Câmara do Funchal em 2013, enquanto independente, numa coligação de partidos liderada pelo PS, e governou a maior autarquia da região autónoma da Madeira até 2019. Nesta entrevista no programa “Primeira Pessoa”, da plataforma JE TV, aborda os desafios da Madeira para os próximos anos.

Paulo Cafôfo é o convidado desta semana do programa “Primeira Pessoa”, numa entrevista conduzida por Leonardo Ralha, Ruben Pires e Laura León.

O líder do PS-Madeira conquistou a Câmara do Funchal em 2013, enquanto independente, numa coligação de partidos liderada pelo PS, e governou a maior autarquia da região autónoma da Madeira até 2019. Foi então que liderou a lista do PS às eleições regionais. Triplicou o número de votos, o que não foi o suficiente para chegar a presidente do governo regional, mas esse continua a ser o objetivo de Paulo Cafôfo,

Já filiado no partido, e que depois de se tornar presidente do PS-Madeira em eleições internas, terá direito à consagração no congresso regional que decorre neste fim-de-semana.

Recomendadas

“Jogo Económico”: “Queda de investimento nas ‘Big5′? Clubes vão ’emagrecer’ ativos”

De acordo com o CIES, o investimento no mercado de transferências de Verão nas ‘Big5’ desceu para 3,3 mil milhões de euros, ou seja, para níveis de investimento de 2015. Como é que este fator vai afetar o futuro das cinco maiores Ligas da Europa?

“Jogo Económico”: “Jogadores da nossa Liga chegam a grandes Ligas europeias e impõem-se”

A contrariar a ideia de que a Liga portuguesa tem poucos valores que possam ser exportados, o jornalista João Marcelino realçou na última edição do “Jogo Económico”, da plataforma JE TV, que jogadores como Bruno Fernandes e outros, impõem-se em grandes emblemas europeus.

“Jogo Económico”: “Impacto da F1 em Portugal vai rondar um valor entre 40 a 50 milhões, no mínimo”

Na última edição do programa “Jogo Económico”, da plataforma JE TV, o economista Paulo Reis Mourão realçou que a Fórmula 1 terá um impacto de 40 a 50 milhões de euros, no mínimo.
Comentários