“Quando viro à direita, a direita está distraída a bater na esquerda”, diz Marcelo

Presidente da República decidiu brincar com as indicações do caminho, comparando o virar à esquerda e à direita com preferências políticas, durante a sua ida a Andorra pela ocasião do dia Nacional do Principado.

Marcelo Rebelo de Sousa esteve hoje em Andorra, na comemoração do dia Nacional do Principado, onde afirmou aos emigrantes que Portugal “está a crescer, a crescer. Turistas, turistas, turistas”.

Durante a ida para o Santuário de Nossa Senhora de Meritxell, o presidente decidiu brincar com as indicações do caminho, comparando o virar à esquerda e à direita com preferências políticas.

“Agora viramos à direita, coisa que eu em Portugal já não faço há algum tempo”, disse o Chefe de Estado à Lusa, acrescentando que “de vez em quando faço, mas a direita não nota. Eu quando viro à direita em Portugal, a direita está distraída a bater na esquerda, não nota. Em vez de aproveitar, não nota”.

O ‘bom-humor’ de Marcelo manteve-se nas suas declarações, especialmente no momento em que lhe sugerem que se aproxime de uma ravina para ser fotografado.

Tal sugestão só podia ser feita por alguém “feito com a oposição”, questionando depois os presentes: “Quem será a oposição ao Presidente que ama todos os portugueses?”.

Respondendo a si mesmo, Marcelo refere que “não há oposição. Tem de ser alguém muito distraído. Com quotas de popularidade de 80 e tal por cento, tem de ser alguém muito distraído”.

O Presidente da República falou ainda com uma enfermeira emigrante que apelou pela sua classe profissional, “para lutar pelos enfermeiros em Portugal”.  No seu tom simpático, Marcelo afirmou que iria recebê-los, referindo-se aos encontros que terá na próxima semana com os responsáveis ligados à área da saúde.

 

Ler mais
Recomendadas

CDS-PP e Chega reúnem-se na quinta-feira no parlamento

A reunião “de cortesia” foi pedida pelo CDS, para “apresentação de cumprimentos da nova liderança”, disse fonte oficial dos centristas.
catarina_martins_bloco_esquerda_legislativas_1

BE quer subsídio de alimentação da Função Pública como referência para o setor privado

A medida consta de um projeto de lei apresentado pelos bloquistas, que visa que o subsídio diário de alimentação dos trabalhadores do setor privado não seja inferior ao que definido para os trabalhadores da Administração Pública.

PSD junta-se à esquerda para limitar cobrança de comissões bancárias

A medida consta de um projeto de lei entregue pelos social-democratas na Assembleia da República, que prevê que os primeiros cinco movimentos mensais feitos através da MB Way bem como a emissão do distrate no final do contrato de crédito sejam gratuitos.
Comentários