Quantico investiu 150 milhões a reabilitar 13 prédios residenciais

Carlos Vasconcellos, ex-quadro da PT, apostou na reabilitação urbana de luxo em Lisboa, Cascais e Porto, onde diz que há um universo de 25 mil imóveis “premium” por reabilitar.

Os projetos de luxo de reabilitação urbana são uma história de sucesso no segmento das habitações “premium”, captando investimentos elevados, sempre recompensados por vendas com valores avultados e procurados por uma percentagem considerável de compradores estrangeiros. Carlos Vasconcellos, empresário e presidente da sociedade imobiliária Quantico – ex-quadro da Portugal Telecom – apostou neste segmento em 2013 e já investiu 150 milhões de euros na reabilitação de 13 prédios residenciais com um total de 250 apartamentos, estimando que o universo imobiliário “premium” que pode ser objeto de intervenções de reabilitação em Lisboa e no Porto, seja da ordem dos “25 mil imóveis”. Boa parte do investimento feito pela Quantico foi concretizado em parceria com o fundo imobiliário luxemburguês Albatross. E o montante médio das transações concretizadas (em contratos de compra e venda) pela Quantico foi da ordem dos 600 mil euros, adianta Carlos Vasconcellos.

“Existem em Portugal cerca de cinco milhões de casas/apartamentos. Destes, cerca de 30% estão em mau estado e necessitam de obras de reabilitação. Chegamos assim ao número de 1,5 milhões de imóveis para reabilitar em todo o país. No entanto, apenas uma pequena fracção destes tem características e localização que se enquadram no segmento do luxo ou alta qualidade. Não há números precisos, mas podemos estimar que em Lisboa e Porto existam cerca de 25 mil imóveís que poderão ser incluídos nesta categoria”, diz o presidente da Quantico.

Atualmente, a empresa tem em venda três projectos de reabilitação urbana de topo, em Lisboa, o “Santa Marta 32” (no qual só há três unidades livres), o “Alecrim 15” (que já está 50% vendido) e o “Casal Ribeiro 26” (que tem cerca de 60% dos apartamentos vendidos). “Em breve, vão ser lançadas as vendas de mais dois projectos desenvolvidos pelo Fundo Albatross, o ‘Santa Engrácia’ em Lisboa e o ‘Sampaio Bruno’ no Porto”, refere.

Entre as localizações de Lisboa, Cascais e Porto com maior procura neste segmento, Carlos Vasconcellos considera que o maior afluxo é dirigido para os bairros históricos de Lisboa e Porto, colocando num plano imediato as zonas lisboetas das Avenidas Novas, Lapa, Estrela, Saldanha e, mais recentemente, do Beato e Alcântara. No Porto, para além do centro e da Foz, há procura crescente pelas Antas, Boavista, Foz Velha, Cedofeita e Matosinhos.

O fundo de investimento Albatross disponibilizou 100 milhões de euros para serem aplicados “total e exclusivamente pela joint-venture Quantico-Albatross”, refere, explicando que foram investidos na reabilitação urbana de três prédios em Lisboa e dois no Porto. No entanto, o futuro não terá tantas oportunidades porque – diz –  “o mercado de reabilitação deste segmento está hoje pouco atractivo, pois é difícil encontrar boas localizações a preços que consideramos correctos”. No segmento de reabilitação médio/alto, a Quantico tem aproximadamente 50% de clientes estrangeiros.

Recomendadas

CDS quer actualização do Plano de Contingência para controlo da Xylella fastidiosa

Os deputados do CDS-PP Patrícia Fonseca, Ilda Araújo Novo e Hélder Amaral querem saber se está já em curso alguma actualização ao Plano de Contingência para controlo da Xylella fastidiosa e seus vectores, elaborado em 2016, e se não, para quando está pensada essa actualização. E enviaram a pergunta ao ao ministro da Agricultura, Florestas […]

Crise dos Combustíveis. CAP aconselha agricultores a “constituírem reservas e tomar medidas de prevenção”

Afinal a crise dos combustíveis não chegou ao fim. Sem conseguir um acordo com a Antram — Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias, o Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) anunciou uma greve “cirúrgica” ao trabalho suplementar, feriados e fins-de-semana, entre 7 e 22 de Setembro. Por isso a CAP — […]

SIC e RTP1 foram os canais que mais peças emitiram sobre as eleições europeias

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social concluiu que o canal do grupo Impresa divulgou 189 peças com a presença de candidaturas às eleições para o Parlamento Europeu, que representam menos de 3% do tempo total de noticiários analisados.
Comentários