Quantico investiu 150 milhões a reabilitar 13 prédios residenciais

Carlos Vasconcellos, ex-quadro da PT, apostou na reabilitação urbana de luxo em Lisboa, Cascais e Porto, onde diz que há um universo de 25 mil imóveis “premium” por reabilitar.

Os projetos de luxo de reabilitação urbana são uma história de sucesso no segmento das habitações “premium”, captando investimentos elevados, sempre recompensados por vendas com valores avultados e procurados por uma percentagem considerável de compradores estrangeiros. Carlos Vasconcellos, empresário e presidente da sociedade imobiliária Quantico – ex-quadro da Portugal Telecom – apostou neste segmento em 2013 e já investiu 150 milhões de euros na reabilitação de 13 prédios residenciais com um total de 250 apartamentos, estimando que o universo imobiliário “premium” que pode ser objeto de intervenções de reabilitação em Lisboa e no Porto, seja da ordem dos “25 mil imóveis”. Boa parte do investimento feito pela Quantico foi concretizado em parceria com o fundo imobiliário luxemburguês Albatross. E o montante médio das transações concretizadas (em contratos de compra e venda) pela Quantico foi da ordem dos 600 mil euros, adianta Carlos Vasconcellos.

“Existem em Portugal cerca de cinco milhões de casas/apartamentos. Destes, cerca de 30% estão em mau estado e necessitam de obras de reabilitação. Chegamos assim ao número de 1,5 milhões de imóveis para reabilitar em todo o país. No entanto, apenas uma pequena fracção destes tem características e localização que se enquadram no segmento do luxo ou alta qualidade. Não há números precisos, mas podemos estimar que em Lisboa e Porto existam cerca de 25 mil imóveís que poderão ser incluídos nesta categoria”, diz o presidente da Quantico.

Atualmente, a empresa tem em venda três projectos de reabilitação urbana de topo, em Lisboa, o “Santa Marta 32” (no qual só há três unidades livres), o “Alecrim 15” (que já está 50% vendido) e o “Casal Ribeiro 26” (que tem cerca de 60% dos apartamentos vendidos). “Em breve, vão ser lançadas as vendas de mais dois projectos desenvolvidos pelo Fundo Albatross, o ‘Santa Engrácia’ em Lisboa e o ‘Sampaio Bruno’ no Porto”, refere.

Entre as localizações de Lisboa, Cascais e Porto com maior procura neste segmento, Carlos Vasconcellos considera que o maior afluxo é dirigido para os bairros históricos de Lisboa e Porto, colocando num plano imediato as zonas lisboetas das Avenidas Novas, Lapa, Estrela, Saldanha e, mais recentemente, do Beato e Alcântara. No Porto, para além do centro e da Foz, há procura crescente pelas Antas, Boavista, Foz Velha, Cedofeita e Matosinhos.

O fundo de investimento Albatross disponibilizou 100 milhões de euros para serem aplicados “total e exclusivamente pela joint-venture Quantico-Albatross”, refere, explicando que foram investidos na reabilitação urbana de três prédios em Lisboa e dois no Porto. No entanto, o futuro não terá tantas oportunidades porque – diz –  “o mercado de reabilitação deste segmento está hoje pouco atractivo, pois é difícil encontrar boas localizações a preços que consideramos correctos”. No segmento de reabilitação médio/alto, a Quantico tem aproximadamente 50% de clientes estrangeiros.

Recomendadas

Navigator nomeia dois novos administradores executivos

João Paulo Cabete Lé e Adriano Agusto Silveira são os novos administradores executivos no mandato do quadriénio em curso, com efeitos a 1 de Janeiro de 2020.

Jorge Calvete é o administrador judicial da Orey Antunes que pediu um PER

O prazo para a reclamação de créditos, começa a correr a partir da data da publicação do anúncio no Portal Citius, ou seja, 10 de dezembro de 2019. Os prazos são contínuos, não se suspendendo durante as férias judiciais.

Bankinter e COSEC assinam protocolo de distribuição de seguro de créditos

O objetivo é permitir às empresas a gestão do risco de crédito em condições mais seguras, cobrindo os prejuízos decorrentes do não pagamento das vendas a crédito de bens e serviços em Portugal e no estrangeiro.
Comentários